Cada vez menos chamativo

Concorrência com Libertadores, preços dos ingressos e baixo nível técnico espantaram torcidas

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro Frederico Ribeiro |

Vazia. A Arena do Jacaré, casa do Minas Boca de Sete Lagoas, foi o estádio que recebeu o menor número de torcedores no Mineiro deste ano
PEDRO GONTIJO / O TEMPO
Vazia. A Arena do Jacaré, casa do Minas Boca de Sete Lagoas, foi o estádio que recebeu o menor número de torcedores no Mineiro deste ano

Às vésperas da fase final do Campeonato Mineiro, a expectativa é que a presença de público compense os números ruins constatados na primeira fase da competição deste ano.

Nas 11 primeiras rodadas, válidas pela etapa de classificação do Estadual, o torcedor mostrou desinteresse por partidas de baixo nível técnico e insatisfação com os preços salgados dos ingressos nas bilheterias.

O resultado foi ver a cada partida estádios vazios ou frequentado por poucos torcedores, principalmente, nos confrontos disputados no interior do Estado.

Vários jogos ficaram na casa dos mil pagantes e, em outros, equipes jogaram para menos de 500 pessoas, como no caso de Minas Boca x Boa, no qual apenas 357 torcedores pagaram para comparecer à Arena do Jacaré. A equipe setelagoana, aliás, foi quem mais decepcionou em termos de público. Mesmo fazendo a estreia na elite mineira, o Minas Boca levou apenas 4.343 pagantes em cinco partidas como mandante, o que dá uma média de 868 pessoas por jogo.

Mas o baixo número de pessoas frequentando estádios não foi um privilégio do interior. Na capital, atleticanos, cruzeirenses e, principalmente americanos, jogaram com Mineirão e Independência bem vazios. O Gigante da Pampulha, que comporta 64 mil pessoas, recebeu o máximo de 12.571 pagantes para Cruzeiro x América. Já o Horto, que pode receber 23 mil pessoas, teve o auge no clássico entre Atlético e Cruzeiro, com 18.231 pagantes, o maior público do campeonato. Porém, no duelo entre América e URT, apenas 596 torcedores compareceram à Arena Independência.

No caso dos arquirrivais, as atenções estão mais voltadas para a Libertadores, competição que os dois disputam juntos pela primeira vez na história. Com os preços elevados, o torcedor abre mão do Mineiro, disputado todos os anos, para investir no torneio sul-americano, nem sempre possível de ser visto.

O fato é que, para a sequência dos anos, será preciso repensar o Estadual, oferecer mais atrativos ao torcedor e diminuir o preço dos ingressos. Caso contrário, o caminho para o fim desse tipo de competição continuará sendo percorrido a passos largos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave