Sobras do ano são distribuídas

iG Minas Gerais |

“Os bancos têm lucros fantásticos que são de seus acionistas. Quase sempre, correntista de um banco não é acionista, mas à medida que ele faz movimentações financeiras com a instituição, ele proporciona lucro ao banco”, diz o presidente do conselho de administração do Sicoob Central Crediminas, Alberto Ferreira. Por outro lado, as cooperativas de crédito têm resultados das operações que são dos seus associados.

Essas sobras são resultados da movimentação financeira das pessoas, e uma vez identificadas ao fim do exercício, são distribuídas entre esses associados. “Então, é uma relação que você usufrui no futuro o resultado dessa movimentação que proporciona a instituição, e isso só acontece na cooperativa que não apropria para si o resultado ou para um grupo de pessoas que sejam donas”, explica.

Agora, essas sobras terão a destinação que a assembleia das cooperativas deliberarem. “A sobra vai ser colocada à disposição da assembleia e cada ano é discutido pelo conselho”. No Sicoob Sistema Crediminas, as sobras até 31 de dezembro de 2013 foram de R$ 166 milhões. (HL)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave