Meu escritório, minha casa

Os home offices viraram tendência! Conheça gente que escolheu trabalhar sem sair do lar, doce lar

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

Shairon Lacerda, 29, designer, vocalista e guitarrista da banda Fusile e proprietário do Elvis King Pub
DENILTON DIAS / O TEMPO
Shairon Lacerda, 29, designer, vocalista e guitarrista da banda Fusile e proprietário do Elvis King Pub

WImagine acordar pela manhã e chegar no escritório sem sair do lugar? Sem precisar enfrentar horas de trânsito, sem necessidade daquele tempo extra para escolher a roupa do dia, testar o melhor batom para o job, preparar o café da manhã apressada e fazer todas as outras coisinhas que tomam tanto tempo antes do trabalho. Esses são os atrativos mais do que convincentes para optar por um home office – ou, ao pé da letra, escritório em casa.

Além de economizar tempo, morar no local de trabalho é uma forma de moldar o espaço para que ele fique atrativo e confortável para desenvolver as ideias. “Pessoas que têm horários flexíveis optam pelo home office pela praticidade de estar em casa e economizar a grana do aluguel de uma sala, além de querer um pouco mais de qualidade de vida”, explica a pesquisadora e professora Lenise Regine, uma das personagens enumeradas pelo Pandora e que opta pelo lar em tempo integral.

De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa Robert Half, o Brasil ocupa o 3º lugar onde as pessoas optam pelo home office, sinal de que a tendência tem mesmo futuro daqui em diante.

Variar faz bem

Para não se cansar da rotina, é possível mudar de ares com atitudes que vão além de itens de decoração. Em dias de solidão, por exemplo, que tal juntar suas coisas e ir trabalhar no home office do vizinho? Aqui em BH, o projeto “Pop Up Office” permite que freelas troquem o conforto do lar durante alguns dias da semana para dar expediente num cantinho que está sobrando noutro escritório. “É ótimo para fazer networking e colocar mais pilha na criatividade”, explica Lenise, que já juntou computador, caderninho e caneta e foi labutar ao lado do marido, mas só por um tempinho.

Se ainda falta aquele empurrãozinho para se jogar no seu “home, sweet office”, a inspiração fica por nossa conta. Fomos conferir alguns espalhados pela cidade.

Leia tudo sobre: TrabalhoEmpregoHome Office