Personagem duro na queda

Após ser escalado para primeiro capítulo de “Pecado Mortal”, Renato Livera comemora sobrevida de Monet

iG Minas Gerais | luana borges |

“Atualmente, o policial protege o próprio corpo. Antes, era tudo muito aberto. Então, a gente atira com peito aberto”
Luiza Dantas/CZN
“Atualmente, o policial protege o próprio corpo. Antes, era tudo muito aberto. Então, a gente atira com peito aberto”

O vento mudou na hora certa para Renato Livera. Próximo do fim de seu contrato com a Record, onde até então havia atuado somente em “Máscaras”, folhetim de 2012 escrito por Lauro César Muniz e Renato Modesto, ele lamentou ser escalado apenas para uma participação no primeiro capítulo de “Pecado Mortal”.

Mas, depois de uma leitura com o elenco, chamou a atenção de Carlos Lombardi – autor da atual trama da emissora. Com a desistência de Rodrigo Faro por incompatibilidade de agenda, o autor sugeriu que Renato interpretasse o inescrupuloso policial Monet, que seria vivido pelo apresentador da Record. O personagem, inclusive, estava previsto para morrer entre o capítulo 30 e 40. Mas agora deve ficar até o fim da trama. “Até brinco que é um papel de sete vidas. Estou gastando elas aos poucos”, reforça, bem-humorado.

Apesar de seu personagem ter sido definido bem depois, Renato Livera conseguiu aproveitar a preparação oferecida pela Record para interpretar o policial mau caráter. Frequentou muitas aulas de tiro ao lado de parte do elenco da novela e observou como o manuseio de uma arma pela polícia era bem diferente na década de 70 em relação aos dias de hoje. “Atualmente, o policial protege o próprio corpo, existe um resguardo desses profissionais. Antes, era tudo muito aberto. Então, a gente atira com peito aberto, não coloca as duas mãos na arma, não mira no que quer acertar...”, diferencia o ator. Além disso, Renato assistiu a uma série de filmes de temática semelhante à da novela, protagonizados por atores como Al Pacino, Robert De Niro e Michael Douglas, dentre outros astros hollywoodianos. Tudo para se ambientar ao máximo com essa atmosfera de corrupção e ação e se inspirar nas atuações de quem admira como artistas. “Filmes são a melhor pesquisa para mim, sem dúvida. Gosto muito do cinema e seus intérpretes”, decreta. Preferências

Ator: Javier Bardem e Wagner Moura Atriz: Meryl Streep Filme: “A Garota na Ponte” Autor predileto: José Saramago Livro de cabeceira “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel García Márquez Novela preferida: “Que Rei Sou Eu?”, de 1989 Que papel gostaria de representar: Hamlet Humorista: Fábio Porchat Vilão marcante: Carminha, interpretada por Adriana Esteves em “Avenida Brasil”, e Flora, vivida por Patrícia Pillar em “A Favorita” Com quem gostaria de contracenar: Ricardo Blat

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave