Cuba mais que dobra salário de médicos, inclusive no exterior

Ganhando US$ 20 por mês, a classe médica recebia menos do que outros da área de saúde

iG Minas Gerais |

Saúde. Aumento vai beneficiar médicos, dentistas e enfermeiras que trabalham para o governo cubano
Franklin Reyes
Saúde. Aumento vai beneficiar médicos, dentistas e enfermeiras que trabalham para o governo cubano

HAVANA, Cuba. O governo de Cuba mais que dobrou o salário dos médicos e dentistas, que passarão a ganhar até US$ 64 mensais. De acordo com o jornal oficial “Granma”, o aumento, que será pago a partir de 1º de junho, “contribuirá para a estabilidade e a qualidade dos serviços médicos da população, assim como para cumprir os compromissos internacionais”.

Segundo uma tabela publicada pelo “Granma”, o salário de um médico com duas especialidades passará de 627 pesos (US$ 25) para 1.600 pesos (US$ 64). O salário médio em Cuba equivale a US$ 20 mensais, razão pela qual os médicos – que tinham um déficit salarial em comparação com os demais funcionários da saúde – estarão entre os funcionários públicos mais bem-pagos da ilha, ainda que muito abaixo do que ganham seus colegas de outros países da América Latina.

As enfermeiras também receberão aumentos substanciais, embora menores que os médicos e dentistas. Uma especialista passará de 562 pesos (US$ 22,5) para 940 (US$ 37,6), segundo o jornal.

Médicos no exterior. Mais de 50 mil médicos e paramédicos cubanos trabalham em 66 países – entre eles Venezuela, Brasil e África do Sul –, o que constitui uma grande fonte de renda da ilha. O “Granma” declarou ontem que a exportação de serviços médicos fornecerá neste ano a Cuba o valor recorde de mais de US$ 8,2 bilhões, o que supera a exportação de produtos, de US$ 5 bilhões anuais.

O governo também aumentou os pagamentos salariais em dólares aos médicos e paramédicos que trabalham em missões no exterior, apesar de não estar claro se os médicos em todos os países receberam esse aumento.

Sem escassez. O aumento beneficia todos os trabalhadores da saúde, mais de 440 mil – 9% da população economicamente ativa cubana – de cinco milhões de pessoas. O país tem a maior quantidade de médicos por habitantes do mundo, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo o Escritório Nacional de Estatísticas, Cuba tinha 82 mil médicos, 14 mil dentistas e 92,1 mil enfermeiros no fim de 2012, todos eles funcionários estatais.

O aumento havia sido anunciado por Raúl Castro em fevereiro, ao encerrar um congresso sindical, no qual descartou, alegando ser “irresponsável e com efeitos contraproducentes”, um aumento generalizado dos salários no setor estatal enquanto a economia nacional não melhorasse. Na ocasião, Raúl destacou que um aumento para os médicos era justificado “porque a receita fundamental do país neste momento obedece ao trabalho de milhares de médicos no exterior”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave