Internet amplia público e vendas

Especializar em um segmento pode fazer micro e pequenas empresas se destacarem online

iG Minas Gerais | da redação |

Ciclo. Coordenador do Ciclo MPE.net, Fernando Ricci, em palestra, no ano passado, no Sul de Minas
Divulgacao / Fernando Caldas
Ciclo. Coordenador do Ciclo MPE.net, Fernando Ricci, em palestra, no ano passado, no Sul de Minas

Há espaço para micro e pequenas empresas na internet. Atualmente, esses empreendimentos correspondem a mais de 10% do faturamento online no Brasil, de acordo com o diretor de comunicação e marketing da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara-e.net), Gerson Rolim. “Há muitas oportunidades, principalmente para quem se especializa em um nicho de negócios e em determinada categoria de produtos”, aponta.

O comércio online, que deve crescer 20% neste ano, segundo informações do E-bit, exige estratégias diferentes, já que, ao contrário das lojas físicas, não aceita cheque ou dinheiro, não tem vitrine e o cliente não leva o produto para casa logo após a compra – é preciso realizar entregas.

Para orientar os empreendedores mineiros que desejam abrir as portas na internet, a Câmara-e.net promove, no próximo dia 27, o Ciclo MPE.net, evento que visa difundir informações sobre o e-commerce.

A analista de mercado Algeny Gomes Ferreira, do Sebrae-MG – um dos parceiros do projeto – diz que, hoje, inserir-se no comércio eletrônico não é mais opção, mas sim necessidade para qualquer empreendedor. “As pessoas estão mais inteiradas e buscam na internet o que precisam. Se os empresários estiverem fora da rede, perdem muitas oportunidades de venda”, afirma.

Durante o seminário, haverá apresentações sobre planejamento e logística do comércio eletrônico, sistemas de pagamento online, publicidade online, entre outros temas. “Não basta só criar um site. É necessário orientação para que os empreendedores estejam preparados para atender à demanda”, diz.

Na edição de Belo Horizonte, são esperadas cerca de 200 pessoas e, para Algeny, o maior benefício para quem participa do evento é o conhecimento adquirido. Segundo ela, as oportunidades para as micro e pequenas crescerem são realidade: “Se hoje o empresário tem uma loja no bairro que recebe consumidores da cidade, com a loja virtual, vai atingir o Brasil e o mundo”.

Na prática. Inaugurada em agosto de 2013, a loja virtual do Super Nosso já cresceu 100% desde então. A iniciativa de investir no e-commerce deve-se ao fato de o público estar cada vez mais conectado, segundo a diretora de marketing da rede, Rafaela Nejm. Para ela, as dificuldades logísticas e o dever de eficiência completa são os principais desafios na internet. “O consumidor online é ainda mais exigente, e precisa da garantia de um bom serviço, com pontualidade da entrega e qualidade dos produtos”.

No e-commerce

Gerson Rolim, da Câmara-e.net, cita pontos necessários em loja online:

Criar um endereço na internet: registro do site no domínio “.com.br”

Hospedar o site em um servidor: permite guardar qualquer conteúdo acessível via web

Investir em webmarketing: publicidade e presença em sites de busca e redes sociais são necessárias para que as pessoas encontrem a loja na internet

Ter um operador logístico: todas as compras online são feitas à distância, e é preciso garantir que os produtos sejam entregues

Contar com sistema de pagamento online: é necessária uma plataforma que aceite cartões de crédito e boleto bancário

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave