Correndo atrás da base dupla

Pré-candidato, Fernando Pimentel acredita que pode atrair partidos que apoiam Dilma e Anastasia

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

Otimista. Fernando Pimentel afirmou que é o momento que negociar com os partidos da base do PSDB
DENILTON DIAS / O TEMPO
Otimista. Fernando Pimentel afirmou que é o momento que negociar com os partidos da base do PSDB

O ex-ministro do Desenvolvimento e pré-candidato ao governo de Minas, Fernando Pimentel(PT) declarou nesta sexta-feira que ainda é “muito cedo” para confirmar que a chapa adversária liderada pelo PSDB terá mais de 20 partidos compondo o leque de alianças. Segundo o petista, de agora até julho é o momento de trazer para o lado dos petistas os partidos que fazem base dupla no Estado, ou seja, aqueles que nacionalmente apoiam a presidente Dilma Rousseff mas que, em Minas, participam da administração tucana.

“Nós também estamos conversando com muitos partidos. Acho que vamos ter um bloco sólido. A nossa expectativa é trazer para a nossa proposta os partidos que são nossos aliados em nível federal, mas em Minas estavam ate agora com o governo do Estado. Não vejo motivo para desistir dessa possibilidade. O momento adequado é agora”, garantiu o petista.

Pimentel participou nesta sexta-feira em Ribeirão das Neves, na região metropolitana da capital, da quarta edição da “Caravana da Participação”, série de viagens do pré-candidato pelo Estado para ouvir demandas da população e divulgar seu nome antes do início oficial da campanha. Neves é a quarta cidade visitada por Pimentel depois do lançamento.

Ao lado da prefeita petista Daniela Corrêa e de lideranças petistas, o ex-ministro esteve em um clube da cidade e discursou para um auditório cheio de pessoas de diversos segmentos sociais de municípios do entorno de Belo Horizonte. Com discurso de candidato, o petista prometeu dar atenção às penitenciárias da cidade.

Pimentel ainda voltou a dizer que aposta na reedição da aliança entre PT e PMDB no Estado. Ao ser questionado sobre o convite feito pelo PSDB aos aliados peemedebistas, Pimentel assegurou que “o eleitor de Minas vê com mais naturalidade a aliança entre PT e PMDB do que com outros partidos”. “Eu acho que está mantida e será mantida (a aliança). O que esta em discussão é se ela será no primeiro ou no segundo turno”, disse, ressaltando como positivo para as negociações o retorno à presidente estadual do PMDB do agora ex-ministro da Agricultura Antônio Andrade.

Já o presidente municipal do PT de Belo Horizonte, deputado federal Miguel Corrêa, adotou um tom mais enfático sobre a aliança com os peemedebistas em Minas. Segundo ele, com ou sem o PMDB na chapa, Pimentel e seu provável adversário Pimenta da Veiga (PSDB) terão tempos equivalentes na propaganda eleitoral na televisão. “Estamos conversando com vários partidos. Se não fecharmos com o PMDB, vamos negociar com outros partidos”, garantiu.

Culinária

Menu. Pimentel disse ontem que foi apenas uma “brincadeira” declaração dada por ele de que vai “ralar os tucanos”. “Ralar o Pimenta nunca. Pimenta para ser ralada é só a do reino”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave