A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! O Galo vem apresentando defeitos que têm irritado a Massa. Um desses defeitos está na movimentação dos meias e dos atacantes. No ano passado, quando os caras faziam essa movimentação do meio para frente, a defesa adversária ficava em polvorosa, sem saber a quem marcar. Mesmo quando conseguia fazê-lo, Marcos Rocha aparecia pela direita como válvula de escape, livre para armar boas jogadas dali. Eu não vejo mais isso. Os nossos meias e atacantes estão aceitando muito facilmente a marcação adversária, fazendo com que os volantes e zagueiros não tenham para quem passar a bola e sejam obrigados a dar chutões para frente, para Jô ficar brigando por ela. Autuori precisa sanar esse problema, e os jogadores, entenderem que só assim, com muita movimentação, o time vai reeditar as grandes atuações de 2013 e voltar a encantar. A voz Celeste O maior de Minas está disputando a Libertadores sem o espírito da competição. No empate com o Defensor, no Mineirão, faltou malícia ao time de Marcelo Oliveira. O treinador errou, mas não podemos colocar a culpa em uma só pessoa; perderam todos. O treinador tem um grupo forte na mão, só que Egídio, Ricardo Goulart, Dagoberto e Ceará não estão jogando nada. Para que servem Samudio, William e Mayke no banco. Na verdade, o garoto Mayke nem no banco estava no último jogo. Sou cruzeirense, não desisto nunca. Vamos lutar e ainda temos chances de classificação. Se jogar o futebol a que estamos acostumados a ver, com certeza, vence a LAU no Chile e o Real Garcilaso, no Mineirão. Agora é pensar no Boa, na decisão do Mineiro, no domingo. Caravana para a cidade de Varginha. Torcida Jovem: (31) 3354-3096 (Geraldo) ou 3473-4391 (Carlos).  Avacoelhada Flávio Lopes faz parte da história vitoriosa do América. Na função de jogador, participou da conquista do Campeonato Mineiro de 1993, como camisa 10, articulador e marcador de gols. No cargo de técnico, teve participação no processo de formação de importantes atletas revelados pelas categorias de base para o profissional, dentre eles, Edson, Michael, Ruy, Claudinei, Fabrício, Tucho, Alessandro, Álvaro, Emerson e Rodrigo, campeões da Sul-Minas em 2000 e do Mineiro em 2001. Aliás, para conquistar a Sul-Minas, o Coelhão derrotou grandes clubes do futebol brasileiro. Pelo alto nível da competição, muitos americanos consideram que seja o nosso título mais importante. Na condição de gerente de futebol, demonstra competência a fim de superar o desafio de consertar os erros dos últimos dois anos e montar uma equipe mais qualificada que a de 2011.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave