DR à beira do vaso sanitário

Texto de Bruno Mazzeo e Cláudio Torres Gonzaga chega a BH

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

Dupla vive Fernanda e Zeca, que ficam trancafiados no banheiro
Bruno Veiga/Divulgação
Dupla vive Fernanda e Zeca, que ficam trancafiados no banheiro

Há uma máxima que diz que para se conhecer alguém de verdade é preciso conviver intensamente com aquela pessoa. Seja morando sob o mesmo texto ou em situações temporárias como viagens a trabalho ou lazer. Imagine, no entanto, que a experiência de se viver intensamente com o outro seja dentro de um banheiro? Pois é justamente por aí que começa o espetáculo “Enfim, Nós!”, que se apresenta no Teatro Sesiminas.

A peça, escrita por Bruno Mazzeo e Cláudio Torres Gonzaga, mostra a história do casal Fernanda e Zeca, que moram juntos e estão prestes a passar seu primeiro Dia dos Namorados desde que dividem a mesma casa. Trancados, por acidente, no banheiro, eles passam a discutir diversos aspectos de sua relação: ciúmes, cobranças, manias e outras crises são divididas com o público, sempre buscando a comicidade. Mesmo que tudo não tenha saído exatamente como planejaram, a situação inusitada se transforma em uma noite inesquecível.

“Não é simplesmente um casal que fica trancafiado. Tem umas nuances engraçadas”, garante a atriz Maria Clara Gueiros, que interpreta Fernanda. Ela divide o palco com Ricardo Tozzi.

Com oito anos de vida, o espetáculo já teve vários “Zecas” e “Fernandas” no elenco e sempre contou com grande interesse de público, lotando os teatros por onde passou. Gueiros apresentou a peça apenas num fim de semana e, ao contrário, do que se costuma ouvir quanto às substituições de atores e atrizes, ela parece tirar de letra. “Essa parte da substituição é a mais fácil. Afinal, eu já faço comédia há bastante tempo. Eu tenho minhas leituras das coisas e posso imprimir minha marca pessoal na Fernanda”, garante.

Conhecida por seu tino pela comédia, a atriz compara as diversas formas de interpretação em meios diferentes. “Aquela máxima do teatro de fazer a velhinha surda da última escutar sua voz ainda é válida. O teatro exige que tudo seja maior, porque não existe uma câmera para focar seu trabalho. Na televisão, tudo é menor, mais delicado. E no cinema, menor ainda. Mas para mim é como se virasse uma chavinha e estou pronta”, ressalta.

Atriz contratada da TV Globo, Gueiros se diz, cada vez mais, interessada na sétima arte. “Eu não posso reclamar, tenho contato com a Globo, gosto bastante do que faço e honro meus compromissos com o maior prazer, mas tenho gostado bastante de fazer cinema. Acho que o mercado está melhor, mais propício”, destaca ela. Agenda

O quê. “Enfim, Nós”

Quando. Hoje às 21, amanhã às 19h

Onde. Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia)

Quanto. R$ 80 e R$ 40 (meia-entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave