De clássicos ‘hits’ ao popular nacional

Bandas do 3º BPMMG e mirim executam músicas

iG Minas Gerais | JOÃO PAULO COSTA |

Diamantina é conhecida como a
Charchar/Divulgação
Diamantina é conhecida como a "capital brasileira da seresta"
A banda do 3º BPMMG, que, inclusive, é considerada a mais antiga da Polícia Militar no Estado, assim como a mirim Prefeito Antônio de Carvalho Cruz tocam de clássicos internacionais a boleros, MPB, bossa nova, samba e do chorinho, para encanto dos visitantes. “Em 2014, temos a preocupação de resgatar alguns repertórios clássicos, como os de Tchaikovsky e Strauss, e privilegiar os nacionais, como, por exemplo, as compilações de Carlos Gomes. Vamos explorar, ainda, os boleros, que estiveram um pouco ausentes em nossas últimas apresentações. E, claro, também o que não poderá faltar são os clássicos de Roberto Carlos, Ari Barroso e Pixinguinha, sempre muito solicitados pelo público”, diz o maestro Patrick de Aguilar. Segundo um dos idealizadores da Vesperata e historiador diamantinense Erildo Nascimento de Jesus, a inspiração do evento veio de uma peça musical do século XIX. “‘ O Anjo da Meia-Noite’ era uma peça musical executada pela banda do 3º BPMMG e, naquela época, apenas alguns solistas tocavam nas sacadas dos casarios. Quando idealizei a Vesperata, junto com o major Edson Soares de Oliveira e Irineu Alex de Souza, concluímos que seria muito importante trazer à tona, novamente, a tradição de músicos se apresentarem nas sacadas dos casarões”.  Por seu caráter cultural e, ainda, por seu fortíssimo apelo junto ao público, a Vesperata é considerada, hoje, um patrimônio imaterial da cidade. Em 2010, a festividade recebeu do Ministério do Turismo (MTur) o prêmio de 1º lugar na categoria Eventos Sustentáveis do Brasil, entre outras premiações. “A Vesperata foi uma grande sacada, literalmente. Pois, a iniciativa projetou nossa cidade e resgatou a essência musical do povo daqui (Diamantina)”, comemora Erildo.   Tradição  A cidade de Diamantina, conhecida como a “capital brasileira da seresta”, é naturalmente musical e essa essência invade, há muito tempo, seus becos, praças, lares e altares. São serenatas constantes, procissões religiosas cantadas durante todo o ano e saraus em vários pontos da cidade. E a Vesperata, caracterizada por dispor músicos em sacadas dos casarões a tocar instrumentos para o público, é secular. Nos fins de semana que ocorrem a Vesperata há outras atrações musicais em Diamantina – cidade a 292 km de Belo Horizonte. Nas sextas-feiras, por exemplo, acontece o projeto “Sexta Nossa”, com serestas pelas ruas da cidade e shows musicais no Centro Cultural David Ribeiro, o Mercado Velho. Esse local é um dos pontos altos para a visitação e, lá, o turista pode apreciar os pratos típicos. Já aos sábados pela manhã, as pessoas podem percorrer a feira de artesanato, e, aos domingos, acontece o gostoso Café no Beco, sempre acompanhado de imperdíveis serestas.   Programação: Abril; 12 e 26 Maio; 17 e 31 Junho; 7, 14 e 28 Julho; 5 e 12 Agosto; 16 e 23 Setembro; 6 e 27 Outubro; 18 e 25

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave