Para Dilma, assédio no metrô “envergonha a sociedade”

Ontem mais um homem foi detido após tentar abuso sexual na Estação da Sé

iG Minas Gerais |

Proteção. Em São Paulo, dois passageiros contiveram homem que tentou assediar mulher no metrô
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Proteção. Em São Paulo, dois passageiros contiveram homem que tentou assediar mulher no metrô

São Paulo. A presidente Dilma Rousseff usou a conta pessoal no Twitter para condenar os casos de assédio sexual no transporte público. A Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom) registrou 23 casos de abusos no Metrô de São Paulo e na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), entre janeiro e o começo desta semana.

“A ação de criminosos que assediam e abusam de mulheres em ônibus, trens e metrôs envergonha a nossa sociedade”, escreveu Dilma na rede social. “É uma triste coincidência que, no mês em que se celebra o Dia da Mulher, nos deparemos com onda de crimes de assédio sexual no transporte público”.

Segundo Dilma, apesar dos avanços no combate à violência doméstica, por meio da Lei Maria da Penha, o país ainda enfrenta “outros tipos” de violência contra a mulher. “Venho pedir às vítimas que não se intimidem em denunciar. E às polícias que não se omitam em combater a prática. O Brasil de hoje não comporta mais qualquer tipo de violência contra a mulher”, disse a presidente.

MAIS CASOS. Apesar do discurso da presidente, mais um homem foi preso na tarde de ontem acusado de assediar mulheres no Metrô.

Desta vez, o rapaz foi contido por outros dois passageiros, na Estação Sé, que chamaram os seguranças da companhia. É o 23º caso registrado neste ano. A polícia ainda vai confirmar a identidade e a idade do acusado, descrito como “jovem”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave