Petrobras exonera diretor ligado à compra de refinaria

Nestor Cerveró foi quem produziu o relatório que a presidente afirma ter falhas e problemas técnicos

iG Minas Gerais |

Caiu. Cerveró era diretor da Área Internacional da estatal na época da aquisição de refinaria, no Texas
ALAOR FILHO
Caiu. Cerveró era diretor da Área Internacional da estatal na época da aquisição de refinaria, no Texas

BRASÍLIA.O Conselho de Administração da Petrobras Distribuidora (BR) decidiu, por unanimidade, exonerar Nestor Cerveró do cargo de diretor financeiro que ocupava na companhia, subsidiária da Petrobras.

Os membros do conselho da BR, que se reuniu logo após a reunião do Conselho de Administração da Petrobras, em São Paulo, consideraram que não havia mais condições de Cerveró permanecer no cargo devido ao caso da aquisição da refinaria de Pasadena.

Nestor Cerveró é funcionário de carreira na Petrobras, onde entrou em 1984. Depois de atuar em várias funções nas áreas de energia e gás, em 2000 ele passou a gerente de Energia na diretoria de Gás e Energia, até que em 2003, indicado por Delcídio Amaral (hoje senador pelo PT-MT), assumiu a diretoria Internacional da Petrobras. Em 16 de junho de 2011, assumiu a diretoria financeira da Petrobras Distribuidora, cujo mandato vai até 16 de junho de 2014.

Na época em que a Petrobras comprou a refinaria no Texas (EUA), em 2006, Cerveró era o diretor da Área Internacional da estatal e responsável pela elaboração do relatório técnico que recomendou a aquisição e que foi considerado falho pela presidente Dilma Rousseff, que aprovou a compra.

Erro. De maneira reservada, o ex-presidente Lula teria dito que Dilma errou ao responder apressadamente sobre a compra da refinaria e em afirmar que foi induzida a um equívoco por uma relatório “falho”. Segundo o ex-presidente, Dilma, preocupada com o desgaste provocado pelo caso, respondeu de forma impulsiva, mas deu um tiro no pé. Para Lula, Dilma trouxe o problema para dentro do governo ao em vez de deixá-lo restrito à Petrobras.

Após a repercussão negativa de sua justificativa para a aprovação da compra da refinaria, Dilma revisou sua posição. Ela explicou que, à época, o negócio parecia ser vantajoso – argumento oficial da Petrobras.

A oposição, logo depois da explicação dada por Dilma, começou a se movimentar. Os parlamentares pediram explicações ao Ministério de Minas e Energia sobre o caso e já estão se mobilizando para criar uma CPI mista.

Nota

Confirmação. A BR confirmou, ontem, a demissão em nota. Cerveró está em férias na Europa. O empresário José Lima de Andrade Neto acumulará interinamente a diretoria financeira da BR.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave