Dagoberto e Marcelo discutem no intervalo, e atacante não vê 2º tempo

Após saber de substituição contra o Defensor, jogador questionou o treinador; neste sexta-feira, Cruzeiro não confirma versão e anuncia que Dagoberto está vetado do primeiro jogo da semifinal por conta de uma lesão

iG Minas Gerais | Cândido Henrique Silva |

Dagoberto é uma das opções de Marcelo Oliveira para suprir ausências na equipe titular
Joao Godinho/O Tempo
Dagoberto é uma das opções de Marcelo Oliveira para suprir ausências na equipe titular

Não foi apenas o empate com o Defensor-URU que deixou o clima ruim no vestiário do Cruzeiro. O TEMPO apurou que ainda no intervalo da partida o técnico Marcelo Oliveira e o atacante Dagoberto discutiram asperamente.

O jogador não gostou de saber que seria substituído e reclamou. Irritado, o camisa 11 do Cruzeiro deixou a companhia do grupo logo em seguida e nem sequer assistiu o segundo tempo ao lado dos companheiros.

Naquele momento, o Cruzeiro vencia a partida por 1 a 0, com o gol de falta de Éverton Ribeiro. Por conta da expulsão do volante Nílton, o treinador cruzeirense decidiu colocar Rodrigo Souza e recompor setor.

Já amarelado na partida, Dagoberto foi o escolhido para sair e não ficou nada satisfeito. O atacante se mostrava como um dos mais nervosos em campo, tanto que recebeu o cartão amarelo aos 22 min, por uma entrada mais ríspida em Herrera.

Por conta da discussão, Dagoberto teria sido afastado por Marcelo Oliveira da partida deste domingo, contra o Boa Esporte, pela semifinal do Campeonato Mineiro.

Posição

No entanto, a informação oficial do clube é que o jogador está vetado por conta de uma pancada que sofreu nas costas, já no final do primeiro. O lance, inclusive, foi o que originou a falta cobrada por Éverton Ribeiro para abrir o placar.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do clube, que desmentiu o fato. O diretor de comunicação da Raposa, Guilherme Mendes, disse que todos os jogadores do clube ficam no estádio até o fim da partida por conta do exame antidoping.

"O jogador tem que ficar até os 40 minutos do segundo tempo para o sorteio do exame antidoping. Então, não é verdade que ele tenha ido embora logo no início do segundo tempo", comentou o diretor celeste.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave