Humor perde Canarinho

Integrante de “A Praça É Nossa”, humorista Aloísio Ferreira Gomes morreu ontem, aos 86 anos, em São Paulo

iG Minas Gerais |

Rodolpho Cavalheiro
undefined

São Paulo. O humorista Aloísio Ferreira Gomes, mais conhecido como Canarinho, morreu aos 86 anos no início da tarde de ontem, segundo informou a assessoria de imprensa do SBT. Ele havia sofrido um infarto agudo do miocárdio no último domingo (16) e estava internado no hospital Santana, em Mogi das Cruzes (interior de São Paulo). Ainda não há informações sobre o velório do humorista, que será cremado, atendendo um pedido da família.

Nascido em Salvador em 29 de dezembro de 1927, Canarinho começou a trabalhar com 17 anos. Aos 20, já cantava na rádio Excelsior, da Bahia. Em 1955, foi morar em São Paulo, onde passou a cantar com Russo do Pandeiro, ex-integrante do Bando da Lua, na rádio Nacional. Trabalhou na TV Paulista, onde integrou o humorístico “Praça da Alegria”, de Manoel da Nóbrega, pai de Carlos Alberto de Nóbrega. Manoel e Canarinho se tornaram amigos próximos.

Passou também por outros programas, como “Folias do Golias” e “Balança, Mas Não Cai”. Além de atuar, era também redator, escrevendo para “Programa Show Canarinho”, “Domingo É Dia”, “Brincadeira Tem Hora”, dentre outras atrações televisivas cômicas.

Foi também ator de novelas, como “Meu Pedacinho de Chão”, “Paixão Proibida” e “Sinhá Moça”, além da série “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, da TV Globo. No cinema, participou de filmes da época da pornochanchada, entre os quais se destacam “Snuff, Vítimas do Prazer” (1977), de Cláudio Cunha, “Costinha e o King Mong” (1977), de Alcino Diniz, “A Dama da Zona” (1979), de Ody Fraga, e “Nos Tempos da Vaselina” (1979), de José Miziara. Ao todo, trabalhou em mais de dez longas-metragens. Canarinho também foi colunista de esportes do jornal “Folha da Manhã”, publicação do Grupo Folha.

Com Carlos Alberto, fez o humorístico “A Praça É Nossa”, no SBT, onde trabalhava desde 1987. Como Canarinho, ele fazia um quadro em que, ao conversar ao telefone, tirava sarro de um valentão da praça. “Lamentamos a perda do humorista e deixamos nossos sentimentos aos familiares, amigos, admiradores e colegas de trabalho de Canarinho”, disse o SBT em nota.

No último domingo, dia em que sofreu um infarto e foi internado em um hospital de Mogi das Cruzes, coincidentemente, Canarinho apareceu em um depoimento no programa “Eliana”, que homenageou os 60 anos de carreira de Carlos Alberto da Nóbrega. Na ocasião, a apresentadora Eliana chegou a falar que as portas de sua atração na emissora estavam abertas para ele.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave