Sada Cruzeiro e Vivo-Minas buscam detalhes para vencer primeiro duelo

Mineiros fazem clássico neste sábado pelo primeiro jogo dos play-offs; equipes dividem responsabilidades em quadra

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

ESPORTES CONTAGEM MG: TREINO DO SADA N/DATA. NA FOTO: 

FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 20.03.2014
DENILTON DIAS / O TEMPO
ESPORTES CONTAGEM MG: TREINO DO SADA N/DATA. NA FOTO: FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 20.03.2014

Pela terceira vez na temporada, Sada Cruzeiro e Vivo-Minas se enfrentarão na Superliga. Desta vez, o duelo será o primeiro jogo dos play-offs, e terá casa cheia no Riacho, a partir das 21h30 deste sábado.

Antigos conhecidos, os dois times apostam nos detalhes para fazer a diferença no confronto, que deve ter bastante equilíbrio. Os dois clubes também levarão suas responsabilidades para a quadra. Detentores do posto de campeões mundiais, os celestes fazem mais uma “prova” de sua boa fase. Já os minastenistas lutam para chegar a uma final após quatro temporadas longe da grande decisão.

No entanto, os cruzeirenses rechaçam a pressão e apostam na tranquilidade, característica do clube e do treinador Marcelo Mendez, principalmente em momentos de decisão ou até mesmo de desvantagem, como foi no Sul-Americano de Clubes, quando a equipe virou de 2 a 0 para 3 a 2 e conquistou o título.

“Nos últimos anos a gente tem jogado bem, temos vantagem nos números, mas chega um momento como esse em que ninguém se lembra disso, porque isso não entra em quadra. O Minas é uma equipe bem experiente, mas  nossa equipe está acostumada com esse tipo de decisão”, explicou o levantador William.

Segundo Ricardo Picinin, técnico do Minas, a responsabilidade maior é dos donos da casa neste jogo, e ele ainda afirma que o  trabalho feito durante todo o ano é levado em conta para seus comandados.

“O Sada que é o atual campeão mundial,  que ganhou todas as competições, ficou em primeiro na fase classificatória. A gente vai entrar, a gente vai jogar, mas eles é que têm mais a obrigação de ganhar. A gente vê o processo inteiro, tem sido um bom ano. Chegar a final ou não chegar é só Deus que sabe. Ganhar ou perder faz parte do jogo, a gente vai entrar bem preparado para tentar passar para a próxima fase da competição”, avaliou.

Rivalidades à parte, todos os jogadores presentes no duelo acreditam que precisam usar todo o seu pontecial para chegar com a vantagem no segundo jogo das semifinais.

“Espero que a gente esteja bem no sábado, para todos jogarem o seu máximo e a gente sair com uma vitória na série”, diz William. “Vamos ter que jogar 110% a todo o tempo para passarmos”, completa o central Otávio, do Minas.