Outro assessor também recebia

Moisés Rodrigues Silva recebeu cheque de R$ 5.838 de empresa de ônibus que prestava serviços à ONG através de convênios com a prefeitura

iG Minas Gerais | Da Redação |

Na lista de beneficiados com cheques desviados também está um doador de campanha de Léo Contador. Moisés Rodrigues Silva recebeu cheque de R$ 5.838 de empresa de ônibus que prestava serviços à ONG através de convênios com a prefeitura.

A cópia do cheque, emitido em 10 de dezembro de 2013, foi recebida por Antônio Carlos, conforme reprodução ao lado.

De acordo com o site Wikipolíticos, que se baseia em informações repassadas pelo Tribunal Regional Eleitoral, ele efetuou, em 2012, dois depósitos na conta de Léo, somando R$ 2.640.

Os desvios nos convênios assinados pela Secretaria de Assistência Social, especialmente o Socialização, teriam originado um rombo de pelo menos R$ 600 mil. Há também denúncias de irregularidades em convênios com outras entidades, o que aumentaria o rombo para cerca de R$ 3 milhões.

Porém, auditorias internas que estavam sendo realizadas pelo ex-controlador Robspierre Miconi foram paralisadas. Isso porque Miconi foi demitido no mesmo dia em que o prefeito Carlaile Pedrosa retornou de sua licença.

Um dos motivos para a demissão teria sido o fato de a auditoria atingir também o Instituto de Pesquisas e Política Urbana de Betim (Ippub), que tinha como chefe a irmã do prefeito, Cleide Pedrosa.

Outro irmão de Carlaile, Cleanto Pedrosa, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de MDC e um dos mentores do Ippub, chegou a procurar o presidente da Câmara, vereador Marcão Universal (PSDB), para tentar evitar que o então prefeito em exercício, Waldir Teixeira (PV), extinguisse o instituto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave