Desvio de R$ 26 mil foi para assessor do prefeito

Lourival Moreira trocou cheques por dinheiro em caixa do Santander; verba deveria ser aplicada em benefício de crianças carentes da cidade

iG Minas Gerais | Da Redação |

Moisés Rodrigues Silva, doador da campanha de Léo, recebeu verba da ONG
Reprodução Facebook
Moisés Rodrigues Silva, doador da campanha de Léo, recebeu verba da ONG

Novas provas de desvio de verbas federais da Secretaria de Assistencia Social de Betim, durante a gestão do vereador Edson Leonardo Monteiro, o Léo Contador (DEM), foram levadas à Assembleia Legislativa pelo também vereador Antônio Carlos (PT), na última quarta-feira (19).

Parlamentares do PT, do PMDB e do PCdoB receberam documentação que deixa a situação do ex-secretário ainda mais complicada. Ele foi demitido pelo prefeito Carlaile Pedrosa em 14 de janeiro por causa de denúncias de irregularidades, após auditorias determinadas pelo próprio prefeito sobre a aplicação de recursos dos principais convênios da Semas, que, em 2013, movimentaram mais de R$ 30 milhões.

A investigação ocorreu porque, apesar dos altos investimentos públicos em assistência social, a avaliação dos serviços prestados ficou abaixo do aceitável, e muitas denúncias de direcionamento de recursos para vereadores e candidatos a deputado nas eleições deste ano comprometeram a credibilidade das aplicações.

Entre os supostos beneficiados por esses recursos, além do próprio Léo Contador, estaria o vereador Welinton Santos de Abreu, o Sapão (PSB), conforme denúncias feitas por funcionários da própria Semas.

O Núcleo Assistencial Irmãos Glacus, que tem como funcionária contratada a esposa de Carlos Clarindo de Souza, o Carlão, ex-locutor do prefeito Carlaile, ligado a Léo Contador, recebeu da prefeitura no ano passado mais de R$ 4,9 milhões em repasses.

Desse total, mais de R$ 2 milhões se referem aos convênios Socialização e Pro-Jovem, programas mantidos com recursos federais, estaduais e municipais, voltados para crianças carentes do município.

Através desses convênios, teriam ocorrido os desvios de recursos. Na semana passada, Antônio Carlos já tinha em mãos as cópias de cheques cujo destinatário era Carlos Clarindo de Souza, o Carlão, locutor da extinta Superintendência Municipal de Eventos. Somente ele recebeu dois cheques de R$ 13.000, somando R$ 26.000. Outros dois cheques estavam em nome da irmã dele, Adriana Clarindo de Souza, somando R$ 67.000.

Nesta semana, outros cheques surgiram. Desta vez, o destinatário era Lourival Moreira, contratado como assessor do gabinete do prefeito Carlaile Pedrosa. Dois cheques nominais a ele somam R$ 26.000 em desvios. Já Moisés Rodrigues Silva, doador de campanha de Léo Contador, recebeu R$ 5.838, também em cheque nominal de empresas prestadoras de serviço no núcleo Irmãos Glacus. A reportagem tentou falar com o vereador Léo Contador e Lourival Moreira, porém, até o fechamento desta edição, eles não tinha retornado as ligações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave