Máfia italiana compra pó no Brasil

Operação conjunta das polícias brasileira e da Itália desmancha quadrilha internacional

iG Minas Gerais |

São Paulo. A Polícia Federal desmanchou ontem uma organização criminosa ligada à máfia Ndrangheta, a mais poderosa da Itália, com sede na região da Calábria. A operação foi batizada de Monte Pollino. A quadrilha enviava cocaína para a Europa por meio do Porto de Santos (SP).

Foram presos 12 investigados, 10 deles no Brasil, 1 na Espanha e 1 na Itália. Oito estão foragidos no Brasil e no exterior. A investigação teve início em fevereiro de 2013, quando a Polícia Federal recebeu um pedido de cooperação jurídica internacional da Itália, relatando a existência do esquema. Segundo a PF, foi apurado que uma organização criminosa adquire a droga no Peru e na Bolívia e a traz para o Brasil. Daqui, ela é embarcada em navios de carga, tendo como destino diversos portos europeus.

O grupo, composto por brasileiros, chilenos, bolivianos e europeus estava baseado na cidade de Santos (SP) e executava todas as tarefas necessárias para a exportação da droga, desde sua aquisição, recepção no Brasil, acondicionamento e embarque em navios – que partiam principalmente do Porto de Santos. A droga tinha como destino principal a Itália.

Os compradores integram a Máfia Ndrangheta. A investigação italiana foi batizada de Operação Bongustaio e identificou os compradores da droga. Ela foi deflagrada simultaneamente com a investigação brasileira. Foram cumpridos simultaneamente mandados de prisão e de busca no Brasil, Itália, Espanha, Portugal, Reino Unido, Holanda, Sérvia, Montenegro e Peru, com apoio da Interpol. Os adidos da PF na Inglaterra, Itália e Espanha participaram diretamente da operação. Desde o início da investigação brasileira outras 6 pessoas foram autuadas em flagrante. Foram apreendidos 1,3 tonelada de cocaína e US$ 760 mil. A Justiça determinou o bloqueio de bens dos envolvidos na quadrilha no valor de R$ 3 milhões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave