Mostra exibe o imperdível ‘Pacto de Sangue’

Clássico de Billy Wilder é essencial para quem quer entender o cinema noir, tema de festival no Cine Humberto Mauro

iG Minas Gerais | da Redação |

“Pacto de Sangue” será exibido neste sábado no Humberto Mauro
Paramount
“Pacto de Sangue” será exibido neste sábado no Humberto Mauro

A mostra de filmes noir Desejo e Morte – Cinema Noir - Parte II, no Cine Humberto Mauro, segue com sua programação até o dia 27 deste mês. E neste fim de semana exibe um dos títulos mais importantes para se entender o que é o gênero. Trata-se do clássico de Billy Wilder, “Pacto de Sangue” (1944).

Começa pelo roteiro escrito a quatro mãos por Wilder e ninguém menos que Raymond Chandler – um dos mais importantes escritores da literatura noir –, que adaptaram juntos o livro homônimo de James M. Cain. Estrelado por Fred MacMurray e Barbara Stanwyck, “Pacto de Sangue” narra a história de Walter Neff, um vendedor de seguros que, seduzido pela bela Phyllis Dietrichson, é convencido a assassinar o marido dela.

Logo nas primeiras cenas, o espectador, por meio da confissão do assassino, é informado que um crime aconteceu: “Fiz por dinheiro e por uma mulher. Fiquei sem o dinheiro e também sem a mulher”, diz o protagonista.

Narrada em off, a partir daí, a trama, cheia de reviravoltas e mistérios, com muitas idas e vindas no tempo, se revelará aos poucos, num cenário que abusa do contraste entre luz e sombra. Tudo o que caracteriza o cinema noir.

“Pacto de Sangue” é, assim, programa imperdível para os fãs do gênero.

Também neste fim de semana, a mostra no Humberto Mauro exibe “Torrentes de Paixão”, com Marilyn Monroe como a femme fatale do noir. Ela vive a esposa que, com a ajuda do amante, tenta convencer o marido (Joseph Cotten, de “Cidadão Kane”), de que ele está enlouquecendo.

O longa é de 1953, quando Monroe era ainda uma mera atriz sob contrato da Fox, e reza a lenda que ela teria recebido menos que seu maquiador pelo trabalho na produção.

O roteiro do filme é de Charles Brackett, responsável pelos clássicos “Crepúsculo dos Deuses” (1950) e “Farrapo Humano” (1945).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave