Bebê é encontrado queimado e com sinais de tatuagem

iG Minas Gerais |

Mãe teria cometido os maus-tratos ao bebê, que foi internado
Moisés Silva
Mãe teria cometido os maus-tratos ao bebê, que foi internado

Uma criança de 1 ano e 9 meses deu entrada na Unidade de Atendimento Imediato (UAI) do bairro Guanabara, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, na segunda-feira (17), com marcas de queimaduras e de tatuagem na perna direita. Segundo a PM, a mãe é acusada de cometer os maus-tratos.

A avó paterna, de 53 anos, que levou o bebê para ter atendimento médico, contou à reportagem de O TEMPO, com exclusividade, que a mãe do menino o deixou com ela e sumiu. O Conselho Tutelar da cidade informou que deu a guarda provisória da criança para a avó, já que o pai do bebê está viajando.

Após a constatação de que a criança teria sofrido maus-tratos, a PM foi acionada e registrou um boletim de ocorrência, mas, de acordo com a avó, a mãe ligou para um dos tios da criança dizendo que o menino havia se queimado ao encostar acidentalmente em um cano de descarga de uma moto. No entanto, depois de entregar a criança para a avó, a mulher não foi mais vista nem teria ligado par saber informações do estado de saúde dele. “Ela sumiu”, disse a avó da criança.

Ela ressaltou ainda que a mãe costuma deixar a criança com ela e sumir por dias, sem deixar ao menos um telefone para contato. Os pais do bebê são separados. De acordo com os enfermeiros, a queimadura possivelmente foi provocada por algum eletrodoméstico de chapa quente. Além disso, a prefeitura esclareceu que as marcas na perna da criança são de uma “lesão profunda e infectada”. O quadro de saúde da criança é estável.Estado de saúde

O promotor da Infância e Juventude de Betim, Raul Marcel, informou que ajuizou, ontem, um pedido de aplicação de medida protetiva e acolhimento institucional da criança. Após receber alta, ela deve ir para um abrigo até que a Justiça defina quem terá a guarda definitiva.

Segundo a avó da criança, além das queimaduras, foi encontrada uma tatuagem na sua perna com as iniciais “Y A S”. A avó, no entanto, não soube explicar o significado dessas letras. “Ela sempre foi muito ausente. Quando foi casada com meu filho, fez da vida dele um inferno”, destacou. 

Minientrevista

Avó da criança

Como a senhora descobriu os ferimentos?

A mãe do meu neto ligou para um tio, no domingo (16), e disse que ele havia se acidentado em uma moto. Foi então que eu o busquei e levei à UAI.

Ela sempre foi uma mãe presente?

Não. Vizinhos já haviam me dito que ela saia e o deixava em casa sozinho, sem comida. Ela sempre o rejeitou. Quando ela o deixava na minha casa, evitava me encontrar para pegá-lo de volta. Ela te procurou nesta semana?

Até hoje (quinta), não. Ela sumiu.

Como era o relacionamento dela com seu filho?
Nunca foi bom. Ela fez da vida dele um inferno.

Leia tudo sobre: Betim