CBV contrata empresa de auditoria para reavaliar contratos

Entidade de vôlei foi questionado por seu maior patrocinador, o Banco do Brasil, e buscou estrangeiros para investigação; primeiros resultados serão divulgados em cinco semanas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Com as denúncias de altos valores gastos pela CBV, a entidade que rege o vôlei brasileira recebeu um ultimato do Banco do Brasil nesta semana e já começou a se movimentar para esclarecer os fatos, que vieram à tona por meio de reportagem da ESPN Brasil no chamado “Dossiê CBV”. Em resposta, a confederação enviou uma nota informando que contratou uma empresa de auditoria.

Segundo o comunicado, a CBV contratou a PricewaterhouseCoopers, “uma das maiores empresas de auditoria do mundo”, e deve divulgar os primeiros resultados da investigação em cinco semanas.

“A CBV está tomando todas as providências necessárias para investigar as denúncias e coibir irregularidades que sejam detectadas. Vamos realizar uma reavaliação ampla de contratos de terceirização, incluindo alguns que já haviam sido cancelados pela atual gestão da entidade", disse Neuri Barbieri, superintendente-geral.

Ainda na nota, a entidade disse que os procedimentos não devem afetar a seleção brasileira e afirma que “resultados ao longo dos anos são inquestionáveis”.

Confira a nota na íntegra:

 A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) fechou hoje acordo com a PricewaterhouseCoopers (PwC), uma das maiores empresas de auditoria do mundo, para revisar contratos de terceirização de serviços assinados na gestão anterior. O processo irá incluir os contratos mencionados nas denúncias feitas recentemente pela imprensa e outros instrumentos que já vinham sendo objeto de investigação interna por parte da CBV. Os primeiros resultados do trabalho da PricewaterhouseCoopers deverão ser divulgados num prazo de cinco semanas.   "A CBV está tomando todas as providências necessárias para investigar as denúncias e coibir irregularidades que sejam detectadas. Vamos realizar uma reavaliação ampla de contratos de terceirização, incluindo alguns que já haviam sido cancelados pela atual gestão da entidade", afirma o superintendente-geral da CBV, Neuri Barbieri. "Isso será feito de forma profissional, com o apoio de uma auditoria de reputação internacional, para garantir a qualidade do trabalho e que não sejam cometidas injustiças."   Os resultados da auditoria serão tornados públicos assim que finalizados, para garantir total transparência e publicidade ao processo.   A CBV ressalta ainda ter certeza de que este processo não afetará a trajetória de sucesso do voleibol brasileiro e ajudará a aprimorar ainda mais a gestão da entidade, cujos resultados ao longos dos anos são inquestionáveis.

Leia tudo sobre: cbvauditoriadossiê