Sevilla elimina Betis nos pênaltis e avança na Liga Europa

Meia Nono, de apenas 20 anos, entrou para a história do Betis como o vilão de uma das maiores derrotas do clube

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Bacca fez o segundo gol do Sevilla e mandou duelo para os pênaltis
Uefa/Reprodução
Bacca fez o segundo gol do Sevilla e mandou duelo para os pênaltis

O meia Nono, de apenas 20 anos, entrou para a história do Betis nesta quinta-feira, mas como o vilão de uma das maiores derrotas do clube. Foi ele quem bateu, de maneiras displicente, para fora o pênalti decisivo no clássico que classificou o Sevilla para as quartas de final da Liga Europa. O mando era do Betis no Estádio Benito Villamarín.

Eliminar o Sevilla e avançar às quartas de final da Liga Europa minimizaria o prejuízo da temporada do Betis. Com 19 pontos e apenas quatro vitórias, a equipe é lanterna do Campeonato Espanhol e precisa de um milagre para escapar do rebaixamento - o primeiro time fora da zona de degola tem 28.

Depois de ganhar por 2 a 0 fora de casa, o Betis entrou em campo como favorito nesta quinta, mas perdeu pelo mesmo placar, com gols de José Antonio Reyes e Bacca. Na prorrogação, nenhum dos dois times conseguiu marcar e a decisão foi para os pênaltis.

Vitolo perdeu a primeira cobrança para o Sevilla. Depois foram seis acertos até que N'Diaye mandou na trave para o Bétis. Rakitic fez o dele e a responsabilidade caiu sobre Nono. O garoto, campeão europeu sub-19, tentou a paradinha, errou, e perdeu a passada. Chutou o chão e a bola tudo junto, sem força, e mandou para fora.

PORTO PASSA - Outro bom jogo aconteceu no Estádio San Paolo, em Nápoles. Depois de perder de 1 a 0 em Portugal, o Napoli precisava vencer o Porto em casa e partiu para o ataque. Aos 21 minutos, Pandev abriu o placar. No lance, recebeu de Higuaín livre nas costas da zaga e bateu na saída do goleiro.

Ex-reserva de Rogério Ceni no São Paulo, Fabiano mais uma vez entrou muito bem no lugar do machucado Helton - ele já havia sido destaque no clássico contra o Sporting, pela Copa da Liga - e impediu o Napoli de ampliar o placar no primeiro tempo.

Na segunda etapa, aos 24, a zaga do Napoli ficou pedindo impedimento, Ghilas respondeu e bateu rasteiro na saída de Pepe Reina. Sete minutos depois, Ricardo Quaresma lembrou os velhos tempos. Deu dribles curtos para passar no meio de três e bateu de esquerda, no ângulo. Desde que voltou ao clube, em janeiro, este foi o oitavo gol dele.

Precisando de dois gols, o Napoli partiu para o ataque, mas conseguiu fazer só mais um. Nos acréscimos, Zapata recebeu cruzamento rasteiro de José Callejón e minimizou o prejuízo. Com a eliminação do Napoli, a Juventus é a única equipe italiana viva nas quartas de final da Liga Europa. O Milan já caiu na Liga dos Campeões.

NA ÁUSTRIA - Outro confronto de menor expressão aconteceu nesta quinta-feira, fechando as oitavas de final. Em Salzburg, o Red Bull recebeu o Basel, da Suíça, e perdeu por 2 a 1, apesar de os visitantes terem jogado com um a menos desde os 9 minutos de partida. Como na ida havia sido 0 a 0, os suíços avançaram.

Mais cedo, Az Alkmaar, Valencia, Lyon, Benfica e Juventus haviam avançado. Assim, entre os 16 clubes que seguem vivos nas competições europeias, são cinco espanhóis, dois alemães, dois ingleses, dois franceses, dois portugueses, um holandês, um italiano e um suíço.

Leia tudo sobre: futebol internacionalliga europabétissevilla