Citado nas gravações, técnico da URT nega envolvimento no suborno

Luiz Eduardo foi citado nominalmente cinco vezes em uma das gravações em que 'Valtinho' oferecia 10 mil reais para Reginaldo entregar jogo para a URT

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

O zagueiro Reginaldo, do Minas Boca, recebeu duas ligações na manhã do último domingo de um sujeito chamado 'Valtinho', teve uma proposta de 10 mil reais para cometer um pênalti contra a URT e receberia o dinheiro do técnico do time de Patos de Minas, Luiz Eduardo. Porém, procurado pela reportagem para comentar seu envolvimento, o treinador negou tudo.

Luiz Eduardo presenciou a briga entre Walter José de Souza, supervisor da URT, e o presidente do Minas Boca, Edson Paredão, no Zama Maciel. Ou seja, ele sabia da história do suborno, mas ficou surpreso em ser notificado de que seu nome estava presente na denúncia feita pelo Minas junto ao Tribunal de Justiça Desportiva.

"Eu? Meu nome está envolvido? Foi citado? Não estou sabendo de nada disso. Não conversei com ninguém. Eu, da minha parte, nunca faria um negócio desses. Deus me livre. Sempre trabalhei em Minas Gerais com honestidade e não mancharia meu nome assim", afirmou o treinador.

Protagonistas estão desvinculados. Luiz Eduardo e Reginaldo, além de 'Valtinho', são os grandes envolvidos no caso de tentativa de suborno antes de URT 3 x 1 Minas Boca no último domingo. Porém, ambos estão sem contratos. 

Segundo os presidentes de Minas Boca e URT, Edson Paredão e Roberto Miranda, o encerramento dos dois contratos não tem nenhuma relação com o escândalo. Segundo eles, o prazo do vínculo se encerrava mesmo ao término da primeira fase do Campeonato Mineiro.

Leia tudo sobre: urtminas bocadenunciacampeonato mineiro