URT espera intimação e advogado diz: 'Clube é o primeiro interessado'

Lucas Ottoni, advogado da URT no caso de tentativa de suborno envolvendo o Minas Boca, disse que espera intimação oficial do TJD/MG

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

Logo que teve o nome de seu clube envolvido na denúncia do Minas Boca em tentativa de suborno junto ao zagueiro Reginaldo, a diretoria da URT acionou os trabalhos do advogado Lucas Ottoni para defender a instituição contra o processo que transita pelo Tribunal de Justiça Desportiva mineira. Ottoni, porém, disse que só pode se pronunciar sobre o caso depois que a URT for intimada oficialmente, mas revelou a vontade da equipe de Patos de Minas em se provar inocente.

“Não podemos falar sobre o caso ainda. Temos que esperar. Você pode falar que o advogado que representa a URT no caso está esperando ser oficialmente intimado pelo Tribunal (TJD/MG)”, afirmou Ottoni, em conversa com o Super FC.

O advogado, no entanto, demonstrou a vontade que a diretoria da URT tem em provar a inocência na denúncia, uma vez que o processo também é de ordem criminal (foi encaminhado para a Delegacia do Consumidor, mas deve ser transferido para a Polícia Civil de Patos de Minas). “Mas adianto que a URT é a primeira interessada em querer esclarecer isso tudo", completou Lucas Ottoni.

O caso tem tudo para virar novela. O TJD/MG já recebeu a denúncia e o Procurador-Geral do Tribunal, Dr. Antônio Augusto Mesquita Fonte Boa informou que terá três dias para se pronunciar sobre o caso. Uma possível paralisação do Campeonato é uma opção praticamente descartada.

O supervisor da URT, Walter José de Souza, disse que irá procurar a Justiça para denunciar o presidente do Minas Boca, Edson Paredão, que, segundo Walter, teria difamado seu nome em uma entrevista à rádio Clube de Patos de Minas.

“Lembrando que calúnia é crime e que eventual acusação indevida também pode configurar infração disciplinar. Estou curioso para ver as supostas provas”, escreveu Ottoni em sua conta pessoal no Twitter.

Leia tudo sobre: urtminas bocalucas ottoniadvogadosuborno