Quase 60% dos idosos mineiros são analfabetos funcionais

Região do Jequitinhonha e Mucuri, e também o Norte de Minas, lideram o ranking das regiões com mais idosos analfabetos, acima da média estadual

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

arquivo stockxpert
undefined

Em Minas Gerais, o índice de analfabetismo tem diminuído com o passar dos anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Enquanto em 2011, 7,9% da população era analfabeta, em 2012, este número caiu para 7,4%. No entanto, a herança precária do passado na educação fica clara na população idosa. Em contraste com estes dados, 29,9% dos mineiros com 60 anos ou mais, são completamente analfabetos, enquanto 57,7% deles são analfabetos funcionais, ou seja, têm menos de três anos de estudo, sabem escrever o próprio nome e até ler ou escrever algumas frases simples, mas não sabem interpretá-las.

Já na população idosa acima de 80 anos, o número de analfabetos completos é ainda maior: 40,2%. Os dados são da Fundação João Pinheiro, que apresentou na manhã desta quinta-feira (20), os resultados da pesquisa sobre a população idosa do Estado, desenvolvida pelo Centro de Estatística e Informação da Fundação, com os dados colhidos em 2011. Para isso,  foram estudados 18 mil domicílios e 428 municípios das 12 mesorregiões mineiras.

Na pesquisa, fica clara a dificuldade das pessoas que não tiveram oportunidade de estudar quando jovens em se alfabetizarem depois de velhas. De todas as mesorregiões, as que encabeçam o ranking é a região Norte do Estado e a região do Jequitinhonha e Mucuri, que empataram com 75,6% das respectivas populações de idosos sendo de analfabetos funcionais. Já o número de completamente analfabetos no Jequitinhonha e Mucuri é de 56,6% entre os idosos, enquanto no Norte, é de 51,1%. Na região metropolitana de Belo Horizonte, 20,5% dos idosos são analfabetos.

Dados Gerais

Ainda de acordo com a pesquisa, em 2011, 11,8% dos mineiros eram idosos com 60 anos ou mais, totalizando 2.302.000 de pessoas. O número aumentou em relação ao censo do IBGE de 2000, quando 7,6% da população era idosa, ou seja, 1.188.992 pessoas. Proporcionalmente, não se pode dizer que a população idosa quase dobrou, porque em 2000, Minas contava com 15.743.152 habitantes. Já a população estimada em 2013, foi de 20.593.356.

As regiões mineiras que apresentaram as estruturas etárias mais velhas foram a Zona da Mata, com 13,3% da população de idosos, e Jequitinhonha e Mucuri, com 13,2% dos idosos. A região metropolitana de Belo Horizonte tem 11% da população idosa. Em todo o Estado, para cada 100 jovens entre 0,14 anos, há 52,4 idosos.

As mulheres vivem mais

As mulheres continuam figurando como maioria entre a população idosa, já que para cada 100 mulheres entre 60 e 79 anos, são 81,8 homens na mesma faixa etária. Já na população com mais de 80 anos essa diferença é ainda maior. São 71,1 homens para cada 100 mulheres.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave