Argentina compara situação na Crimeia a Ilhas Malvinas

Em discurso em Paris, Kirchner comparou o referendo na Crimeia ao ocorrido nas Ilhas Malvinas em 2013, quando a população local preferiu seguir como parte do território britânico

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

EDUARDO DI BAIA/ASSOCIATED PRESS
undefined

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, declarou que os esforços para preservar a integridade territorial da Ucrânia após o referendo da Crimeia são dificultados pela hipocrisia dos EUA e da Grã-Bretanha.

Em discurso em Paris, Kirchner comparou o referendo na Crimeia ao ocorrido nas Ilhas Malvinas em 2013, quando a população local preferiu seguir como parte do território britânico.

A presidente da Argentina disse que para preservar a paz no mundo e o direito internacional não podem haver dois padrões distintos nas tomadas de decisões.

"Não se pode estar de acordo com a integridade territorial na Crimeia e estar em desacordo com a integridade territorial das Malvinas na Argentina", afirmou.

Ainda que a maioria dos países latino-americanos apoiem a posição argentina nas Malvinas, os habitantes da ilha decidiram com 99,8% de aprovação a permanência no território britânico.

Kirchner lembrou que a Crimeia foi parte da União Soviética e que os argumentos do Ocidente perderam força por não haver apoiado a intenção da Argentina de anexar as Ilhas Malvinas.

A presidente insistiu que os países deixem de agir de acordo com os interesses dos mais fortes e pediu uma mudança de postura.

"Por isso apoiamos a integridade territorial, por isso votamos como votamos no Conselho de Segurança (contra o referendo na Crimeia), mas pedimos que todos sejam coerentes e façam exatamente o mesmo", afirmou.

Leia tudo sobre: CrimeiaArgentinaIlhas Malvinas