PSDB lança na internet “Calendário dos escândalos”

Do outro lado, Dilma afaga aliados e chama Cid Gomes (PROS) de “meu querido governador”

iG Minas Gerais |

Presidente visitou o Ceará no dia de São José, padroeiro do Estado
R.Stuckert
Presidente visitou o Ceará no dia de São José, padroeiro do Estado

Brasília e Fortaleza. Em uma investida para tentar conquistar os eleitores nas redes sociais e manter os integrantes do partido mobilizados nos temas da atualidade, o PSDB investirá na reformulação do site da Juventude do partido e no lançamento de um portal intitulado “Calendário dos escândalos”. O lançamento dos dois portais está previsto para ocorrer hoje na sede nacional da legenda e contará com a presença do pré-candidato à Presidência e presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG).

“Fizemos um levantamento e constatamos que dá um escândalo por dia durante a gestão da presidente Dilma. Criamos um site em que o internauta clica num determinado dia e aparece uma matéria que foi publicada por um dos veículos de circulação nacional”, disse o presidente nacional da Juventude tucana, Olyntho Neto (TO). Além dele, também deverão estar presentes no encontro os demais presidentes estaduais da juventude do PSDB.

No calendário citado por Neto, o ano de 2011, primeiro do mandato de Dilma Rousseff, foi intitulado de “Sujeira embaixo do tapete”, em referência aos seis ministros exonerados por suspeitas de irregularidades. O ano de 2012 ganhou o título “Brinquei de governar”, e o de 2013, “Gastos excessivos e vaias”.

Dilma. Enquanto os adversários preparam ataques, a presidente Dilma Rousseff adula aliados. Nesta quarta-feira, no Dia de São José, padroeiro do Ceará, Dilma foi ao Estado e afagou um de seus principais apoiadores, o governador Cid Gomes (PROS). Em Sobral, terra natal do governador, a presidente se referiu a Cid como “meu querido governador” e disse que copiou um programa da gestão dele à frente do Estado.

Os elogios foram presenciados no palanque pelo senador Eunício Oliveira (PMDB), que tenta o apoio do PT para se lançar à sucessão estadual. Os petistas, porém, devem apoiar o nome indicado por Cid, que deixou o PSB por se recusar a apoiar a pré-candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave