Suspeito de pedofilia internacional é apresentado pela polícia

Ele teria abusado da própria sobrinha por 10 anos, desde quando ela tinha 4 anos, e há indícios de que ele também tenha abusado de outras menores, inclusive, nos Estados Unidos, onde morou por três anos

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

José Cardoso foi preso de forma preventiva na última segunda-feira (17)
OSVALDO RAMOS
José Cardoso foi preso de forma preventiva na última segunda-feira (17)

O suspeito de pedofilia internacional José Cardoso da Silva, 48, foi apresentado na tarde desta quarta-feira (19) na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Santa Luzia. Ele é suspeito de abusar sexualmente da sobrinha dele, atualmente com 14 anos, desde que ela tinha apenas 4. Cardoso foi preso nessa segunda-feira (17).

Segundo a delegada Bianca Prado, o suspeito mora em São Gotardo, no Alto Paranabaíba, e a sobrinha, filha do irmão dele, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. O primeiro abuso à menor, quando ela tinha 4 anos, teria acontecido na casa dela, em Santa Luzia.

José Cardoso não tinha profissão fixa no Brasil, mas vendia carros, e em Boston, nos Estados Unidos, onde morou, ele trabalhava em um restaurante. As investigações deram conta de que o suspeito fazia frequentemente a conexão São Gotardo-Boston, mas ele negou. Disse apenas que morou por três anos na cidade norte-americana e depois não visitou  novamente o país.

O Facebook do suspeito é uma das principais provas contra ele, já que ali, ele coleciona como amigas diversas meninas com idades em torno dos 12 anos. Em sua maioria , elas são de São Gotardo, Santa Luzia e Boston. Daí a suspeita de que José Cardoso abusava de meninas também no exterior.

A delegada teve acesso a diversas conversas do suspeito com as meninas pela rede social, nas quais ele fazia ou tentava fazer sexo virtual com elas, chamava elas de lindas e gostosas, pedia para que elas tirassem a roupa para ele e tentava marcar encontros.

O crime

A sobrinha dele, de 14 anos, resolveu acionar o Conselho Tutelar quando começou a se relacionar com outros homens e percebeu a gravidade do que havia acontecido entre ela e o tio.

O abuso teria durado 10 anos, já que começou quando ela tinha apenas 4. Em uma carta, a adolescente descreve como costumavam acontecer as relações entre os dois. José Cardoso, inicialmente, beijava a sobrinha, se masturbava e depois passava sêmen nas partes íntimas dela. No entanto, as relações sexuais com penetração só teriam começado a acontecer quando ela completou 10 anos.

Quando a menor começou a se relacionar com outra pessoa, o caso veio à tona, quando ela contou ao novo namorado que teria que interromper uma relação de 10 anos para ficar com ele.. Segundo o suspeito, se trata de um homem de 59 anos, mas a delegada não confirmou a informação. Ao acionar o Conselho Tutelar, os responsáveis pelo órgão chamara a polícia. No exame de delito, o médico confirmou que a menor já tinha relações sexuais há algum tempo, por meio de indícios como o hímen cicatrizado, o que não é comum em uma adolescente de 14 anos.

Quando o suspeito estava em Boston, também ficou constatado que ele praticava sexo virtual com a sobrinha por meio de uma webcam.

Familiares

Os familiares da vítima negaram ter conhecimento de que Cardoso abusava da menina. No entanto, o tio fornecia uma contribuição de R$ 2 mil, segundo as investigações, o que pode ter ajudado para que o crime fosse acobertado. O suspeito nega a contribuição, assim como também nega o crime.

De acordo com a delegada o suspeito é um homem esclarecido, viajado, temente a Deus, e tinha um vasto conhecimento cultural

Informações

O suspeito está preso de forma preventiva em Ribeirão das Neves e aguarda o andamento do processo. A delegada faz um apelo para que todas as meninas e pais que saibam alguma coisa sobre ele ou tenham tido algum envolvimento ou abordagem da parte de Cardoso, repassem a informação à Polícia Civil. . 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave