Aécio pede que Dilma seja investigada por aval a compra de refinaria

Documentos mostraram que presidente votou, em 2006, quando era ministra da Casa Civil, favoravelmente à compra de 50% da plataforma no Texas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Crise é resultado de governo autoritário, diz Aécio
Agência Brasil
Crise é resultado de governo autoritário, diz Aécio

Depois que documentos inéditos revelaram que a presidente Dilma Rousseff votou, em 2006, favoravelmente à compra de 50% da polêmica refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), o senador tucano Aécio Neves vem cobrando explicações na tribuna do Senado

Na época, Dilma era ministra da Casa Civil e comandava o Conselho de Administração da Petrobrás. Aécio irá cobrar que, sendo especializada na área de minas e energia, a presidente não pode alegar que não havia informações suficientes antes de avalizar a negociação.

 Nessa terça-feira, ao justificar a decisão ao Estado, ela disse que só apoiou a medida porque recebeu "informações incompletas" de um parecer "técnica e juridicamente falho". Foi sua primeira manifestação pública sobre o tema.

A aquisição da refinaria é investigada por Polícia Federal, Tribunal de Contas da União, Ministério Público e Congresso por suspeita de superfaturamento e evasão de divisas.

O conselho da Petrobrás autorizou, com apoio de Dilma, a compra de 50% da refinaria por US$ 360 milhões.

Aécio fará um pedido para que o caso seja investigado pela comissão especial da Câmara, que foi aprovado na semana passada com o intuito de investigar denúncias de irregularidades na Petrobras.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave