Esqueleto humano de 3.000 anos tinha câncer

iG Minas Gerais |

Esqueleto encontrado no Vale do Nilo, no Sudão
Reprodução BBC
Esqueleto encontrado no Vale do Nilo, no Sudão

Londres, Reino Unido. Arqueólogos britânicos descobriram o que dizem ser o mais antigo exemplo completo no mundo de um ser humano com câncer metastático. Eles esperam que isso possa propiciar novas pistas sobre a doença comum hoje.

Pesquisadores da Universidade de Durham e do Museu Britânico encontraram evidência de tumores que se desenvolveram e se espalharam por todo o corpo em um esqueleto de 3.000 anos de idade achado em uma tumba no atual Sudão em 2013.

Na análise do esqueleto usando radiografia e um microscópio eletrônico de varredura, eles conseguiram obter uma clara imagem de lesões nos ossos que mostrou que o câncer havia se espalhado para causar tumores nos ossos da clavícula, escápulas, membros superiores, vértebras, costelas, pélvis e coxa.

“O conhecimento adquirido em restos humanos como esses podem realmente ajudar-nos a compreender a evolução e a história das doenças modernas”, disse à Reuters a estudante de pós-doutorado Michaela Binder, de Durham.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave