Comunista rico é russo

iG Minas Gerais |

Com tudo o que tem acontecido no Brasil e também no mundo – vê quem quer ver –, é evidente que estamos vivendo um tempo de extrema sensibilidade. Some avião com mais de 200 pessoas, e, apesar dos recursos da modernidade, permanece o mistério do desaparecimento (será que a aeronave foi abduzida?). Na Rússia, o presidente Putin, com aquela carinha de mico branco – esse qualificativo não é preconceituoso, assim como chamar Obama de negão também não é –, procura, com jogada política de mestre de xadrez, refazer a União Soviética. A Crimeia é apenas a primeira pedra a ser movida. Não vai demorar muito o gás da Sibéria vai fazer a diferença. Temo pelo retrocesso da humanidade, pois essa coisa de um povo querer mandar em outros povos, a ganância de poder, sempre foi a desgraça da humanidade, desde que o mundo é mundo. Aqui no Brasil, pior que o PT só mesmo o casuísmo, que começa com a aposentadoria antes da hora de alguns ministros do STF. Não me lembro de ministros se aposentarem em cargos vitalícios por contagem de tempo de serviço, e mais, pela contagem recíproca, na forma do Artigo 201, § 9º, da Constituição Federal. Os ocupantes de cargos vitalícios da magistratura, de provimento amplo, sempre chegaram à compulsória, isto é, aos 70 anos. Leio na imprensa que o ministro Joaquim Barbosa poderá ser candidato à Presidência da República. Isso seria uma desgraça completa, para ele e para o Brasil, pois a parte séria e responsável do país não pode imaginar o STF sem ele, real contrapeso da parcialidade. Rogo ao ministro que não faça o jogo do PT, que manobra para retirá-lo do STF, a fim de ali implantar mais um substituto escolhido a nove dedos. O ministro tem problemas de coluna e não tem jogo de cintura para os acordos essenciais à vitória em eleições. Por falar nisso, um ex-deputado de nome Greenhalgh, de São Paulo, declarou a um jornal que o PCdoB vai à Justiça para cortar verbas oficiais do SBT porque a jornalista Sheherazade dessa TV faz apologia do terrorismo e da barbárie ao apoiar a atitude de moradores de um morro do Rio de Janeiro, que amarraram um pivete no poste por ser um ladrão perigoso. Deviam também amarrar esse ex-deputado, o tal de Greenhalgh, da esquerda católica de São Paulo, que deve estar em campanha para ocupar algum cargo. Esse cara, quando deputado, foi candidato à presidência da Câmara e perdeu feio para o Severino, aquele lá de Pernambuco, e ficou riquíssimo como advogado dos mais de 30 mil, segundo dizem, pensionistas e indenizados da Revolução. Com honorários a 10% ou 20%, dá para imaginar. Tenho ódio desses tipos, militantes ricos do pós-revolução e também de pichadores anônimos, e sou favorável a que todos eles, apanhados em flagrante, sejam presos e tenham as cabeças raspadas e pintadas de vermelho, com aquela tinta que demora três meses para sair. Amarrar vagabundos em postes, sem bater, até a polícia chegar, também é bom e prático.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave