Novo barulho dos motores da F1 deixa Bernie Ecclestone inconformado

Equipes tiveram que deixar de lados antigos motores V8, além de alterar o desenho dos bólidos e implantar novas tecnologias de recuperação de energia

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Nico Rosberg foi o grande vencedor do GP da Austrália, o primeiro da temporada
PÁGINA OFICIAL/DIVULGAÇÃO/FACEBOOK
Nico Rosberg foi o grande vencedor do GP da Austrália, o primeiro da temporada

O som dos novos motores V6 da Fórmula 1 não agradaram Bernie Ecclestone, detentor dos direitos comerciais da categoria mais importante do automobilismo mundial. Para esta temporada, as equipes tiveram que deixar de lados antigos V8, além de alterar o desenho dos bólidos e implantar novas tecnologias de recuperação de energia. Resultado - o giro dos motores diminuiu e o barulho foi reduzido drasticamente.

"Não é barulho que nos horrorizou. Pelo contrário, foi a falta de barulho", afirmou o dirigente.

"Esses carros não fazem barulho de carros de corridas. Falei na última segunda com Jean Todt (presidente da Federação Internacional de Automobilismo) para saber se tem um jeito de mudar isso. Não sei se é possível, mas tem que tentar. Não dá para esperar toda a temporada, porque vai ser tarde demais", completou Ecclestone.

As reclamações não pararam só no chefão. Os fãs da F1 também revelaram sua insatisfação com a 'falta de barulho' dos novos motores. Para aumentar ainda mais a polêmica, até mesmo os organizadores do GP da Austrália expressaram sua insatisfação com a mudança.

"Falei com o Luca di Montezemolo (presidente da Ferrari) e ele comentou que nunca recebeu tantas mensagens com queixas dizendo que isso não é F1", concluiu Ecclestone. 

Veja no vídeo abaixo a diferença: