MP pede que PMs sejam absolvidos de 2 mortes no Carandiru

Os promotores concluíram que uma do assassinatos foi provocado por arma branca e o outro teria acontecido em outro local da unidade prisional

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Temor da organização é que potros réus sejam absolvidos
Marcelo Camargo/ABr
Temor da organização é que potros réus sejam absolvidos

O Ministério Público Estadual pediu nesta terça-feira (18), que os dez PMs que estão sendo julgados no Fórum Criminal da Barra Funda sejam absolvidos de 2 das 10 mortes das quais são acusados. Os promotores concluíram que uma do assassinatos foi provocado por arma branca e o outro teria acontecido em outro local da unidade prisional. Os dez réus respondem pelas mortes ocorridas no quarto andar do Pavilhão 9 do Completo do Carandiru em outubro de 1992.

O júri da quarta etapa do julgamento do Carandiru recomeçou na manhã desta terça-feira, 18, por volta das 11 horas e está na fase de debates com a sustentação da promotoria. A acusação terminou a arguição às 12h53, quando o julgamento foi interrompido para o almoço. Nos últimos cinco minutos houve queda de energia. Depois da pauta será a vez da defesa fazer a sua explanação.

No interrogatório ocorrido na segunda-feira, 17, os dez PMs afirmaram que nunca estiveram naquele piso e só chegaram até o terceiro andar - o que foi classificado pela promotoria como a maior "mentira da história dos júris no País. Os promotores partem do entendimento que todos os PMs que entraram no Pavilhão 9 assumiram o risco de matar e, portanto, devem ser condenados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave