Consciência corporal permite fazer escolhas mais saudáveis

iG Minas Gerais |

undefined

Moumina Jeffs explica que Reich e seu aluno Alexander Lowen descobriram que a tensão emocional realmente muda a forma do corpo em crescimento, em resposta direta à privação de necessidades específicas de uma criança, em uma determinada idade.

“Quando isso acontece, e isso acontece com a maioria de nós, perdemos o contato com certos aspectos da nossa essência. Isso às vezes é referido como uma cisão na alma. Ela se manifesta em nossas personalidades em formas destrutivas, e vive no corpo como tensão, fraqueza, gordura e até mesmo disfunção nos órgãos”, observa Moumina.

Os tipos corporais revelam os segredos escondidos do corpo. “Muitas vezes, todo o roteiro inconsciente que vivemos é revelado pela forma do nosso corpo. Trabalhando com ele podemos nos libertar desse roteiro. Muitas pessoas já me disseram que o processo terapêutico relaxa profundamente algo dentro deles, possibilitando um entendimento melhor para seu tipo corporal. Elas vêm o quanto o seu comportamento está relacionado ao seu tipo corporal, e podem dar um passo para trás enquanto testemunham como esses mecanismos funcionam”.

Depois que tomam consciência desse processo, diz a terapeuta, as pessoas podem interromper os maus-tratos que fazem a si mesmas, por constantemente condenar os seus traços de personalidade negativos.

“Em vez de culpar a si mesmas quando padrões limitantes ficam repetitivos em suas vidas, elas podem ter compaixão e fazer escolhas mais nutritivas em seu lugar”, diz Moumina.

Todo o processo terapêutico que será vivenciado durante os workshops visa libertar a vitalidade e a alegria que pertencem a todo ser humano, desde o seu nascimento.

“Essa terapia permite que você descubra o que o seu corpo é sem as vozes sociais e parentais que lhe dizem quem você deve e não deve ser. Além disso, o corpo é selvagem, sensível, forte e infinitamente suave. Ele expressa sua alegria e conecta você com o amor aos outros e dentro de si mesmo com sua própria bem-aventurança interior”, finaliza Moumina. (AED)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave