Seu corpo deseja ser ouvido

Proposta é libertar as emoções para recuperar a vivacidade natural

iG Minas Gerais | Ana Elizabeth Diniz |

Dinâmica.
 Participantes de workshop sobre “o corpo amoroso” trabalham a expressão dos sentimentos através do corpo e da alegria
Krystina Beránková/Divulgaçã
Dinâmica. Participantes de workshop sobre “o corpo amoroso” trabalham a expressão dos sentimentos através do corpo e da alegria

O seu corpo é mais que um emaranhado de órgãos, sistemas, músculos e tecidos. E ele deseja ser ouvido, bem intimamente. É o que acredita a terapeuta Moumina Jeffs, 56, nascida no Reino Unido e que está chegando a Belo Horizonte para um workshop sobre “O corpo amoroso”, técnica desenvolvida por ela e que integra meditação com o trabalho de respiração neorreichiana (desenvolvida por Alexander Lowen, discípulo de Reich), dança, terapia e cura do trauma somático.

Moumina estudou psicologia, terapia por meio da dança, bioenergética, trabalho Reichiano, terapia primal, tantra e constelação familiar.

“Minha longa prática de meditação me levou a descobrir que sua ligação com o estado de estar presente é uma experiência sentida no corpo. Aprender a estar presente em nosso corpo, com as diferentes emoções e sensações que passam por ele, faz da meditação uma realidade viva”, ensina.

Segundo ela, a maioria das pessoas acha que amar seu corpo significa sentir-se satisfeito com a forma que ele aparenta. “Para outros, talvez signifique comer uma boa comida e fazer exercícios físicos. O primeiro parece ser uma meta cada vez mais distante, especialmente para as mulheres. O segundo é, naturalmente, melhor do que comer alimentos não saudáveis e não fazer nenhum exercício”.

No entanto, diz ela, “essas duas atitudes aproximam-se de nosso corpo a partir do exterior, de uma decisão mental, que nós impomos a nós mesmos. Por isso, de alguma forma, nosso inconsciente irá rebelar-se e sabotar nossas boas intenções. Eu descobri que para amar seu corpo, você precisa senti-lo desde o seu interior, para aprender a ouvir suas mensagens”, afirma.

Moumina comenta que em situações da vida diária de intimidade, seja na família ou no trabalho, nossos corpos constantemente nos enviam mensagens que não ouvimos ou não reconhecemos.

“Crescemos descontentes porque não podemos reconhecer as reais necessidades do nosso corpo e não podemos transmiti-las para outras pessoas. Essa atitude de insatisfação e desagrado com nosso próprio corpo faz com que seja difícil receber amor do outro”, analisa Moumina.

Conexões. A terapia do corpo amoroso ajuda a pessoa a abrir os canais de conexão entre seu corpo e seu interior, de modo que suas qualidades essenciais possam ser liberadas para enriquecer sua intimidade e criatividade.

“O corpo precisa relaxar as tensões que se originam de sentimentos bloqueados e de emoções rejeitadas, assim ele pode fluir em sua vivacidade natural. Um corpo cheio de alegria é nosso direito de nascença”, defende a terapeuta.

Na história de vida do ser humano existem cinco estruturas básicas de caráter que foram identificadas por Wilhelm Reich. “O primeiro caráter a ser formado é o chamado esquizóide e baseia-se na sensação de não ser acolhido pela vida ou pela família, de estar sob ameaça. Seu corpo tende a ser magro e contraído. O segundo se baseia em ser abandonado durante os primeiros anos de vida e é chamado oral e se apresenta em um corpo muitas vezes magro, abatido e com olhar infantil”, explica a terapeuta.

E continua: “O terceiro caráter tem a ver com as distorções em torno da experiência de poder, chamado psicopata. Seu corpo pode ter sua metade superior maior e mais dominante. O quarto, o masoquista, é quando a energia expansiva e a liberdade foram inibidas. Seu corpo tende a ser baixo e gordo. O quinto tem a ver com a sexualidade, o amor e a conquista e é nomeado rígido. O corpo é ereto e musculoso”.

Traduzido por José Eugênio Noujeimi

AGENDA: Moumina Jeffs vai ministrar o workshop “O Corpo Amoroso”, de 28 a 30 de março, e “Leitura corporal e tipos corporais”, de 2 a 6 de abril. Local: Pousada Rancho Cipó. Informações: (31) 9935-3891 com José Eugênio.

Aventura

Amoroso. A terapia do corpo amoroso é voltada para aqueles que se encontram vivendo muito em suas mentes, e para aqueles que criticam e julgam os seus próprios corpos.

Tipos de caráter

Esquizóide: sensível, retraído.

Oral: dependente, cativante, autossuficiente.

Psicopata: enganoso, duro/generoso, encantador /manipulador.

Masoquista: sobrecarregado, sofredor

Rígido: trabalhador, com excesso de foco, pegajoso, expressivo.

Fonte: Ron Kurtz

Benefícios

 Abre a pessoa para o seu corpo de uma forma amorosa.

 Ensina a estar presente em seu corpo.

 Possibilita encontrar os caminhos internos para recuperar a sensibilidade e vitalidade.

 Libera e descarrega antigas tensões e emoções.

 Traz a pessoa para o aqui e o agora.

Liberdade

“O corpo precisa relaxar as tensões que se originam de sentimentos bloqueados. Um corpo cheio de alegria é nosso direito de nascença.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave