Ferj cria fórum de debates visando mudanças no Carioca

Entre os principais temas, será discutida a redução do número de clubes disputando a fase principal do Carioca - dos atuais 16 passaria para 12

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Após receber críticas de três grandes clubes da capital fluminense por causa da falta de atratividade do Campeonato Carioca, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) anunciou na tarde desta segunda-feira a criação de um fórum de debates com o objetivo de alterar a competição.

Entre os principais temas, será discutida a redução do número de clubes disputando a fase principal do Carioca - dos atuais 16 passaria para 12, mas só a partir de 2016. E, ainda, medidas para atrair o torcedor aos estádios, como a mudança dos horários dos jogos e redução no preço dos ingressos.

Serão convidados para participar dos debates os clubes, jogadores, imprensa, polícia, bombeiros e outras instituições envolvidas com o futebol. O fórum será organizado em parceria da Ferj com a empresa Trevisan, que será responsável por realizar pesquisas e estudos sobre o Carioca.

O presidente da Ferj, Rubens Lopes, negou em entrevista coletiva que a decisão tenha sido tomada por causa da oposição de Flamengo, Fluminense e Vasco, exposta em um manifesto divulgado antes da eleição que o manteve no cargo, realizada no dia 11 de março, e alfinetou os clubes. "Vamos sair do achismo e da discussão em locais inadequados", afirmou.

O vice-presidente do Vasco, Antônio Peralta, estava presente na coletiva e amenizou o impasse entre o clube e a federação. "Não somos inimigos da federação, o que houve foi uma insatisfação", disse, considerando positiva a criação do fórum. "Foi uma atitude de bom senso. Vai trazer grande melhorias para os clubes não só os grandes", completou.

Maurício Assumpção, presidente do Botafogo e apoiador da gestão de Rubens Lopes, também se mostrou favorável ao fórum. "Vejo isso com uma expectativa boa, é um grande caminho que vamos ter. Bom porque todos os setores envolvidos poderão participar", ressaltou.