Messi se diz honrado por marca histórica com a camisa do Barcelona

Argentino se tornou o maior artilheiro da história do clube no somatório de jogos oficiais e amistosos; dos 371 gols do camisa 10, 344 aconteceram em partidas oficiais e 27 em amistosos

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Messi abriu o caminho para a vitória catalã na Liga dos Campeões
UEFA/REPRODUÇÃO/SITE OFICIAL
Messi abriu o caminho para a vitória catalã na Liga dos Campeões

Lionel Messi escreveu ainda mais seu nome na história do Barcelona no último domingo, ao se tornar o maior artilheiro da história do clube no somatório de jogos oficiais e amistosos. Ele marcou três vezes diante do Osasuna, na goleada por 7 a 0, no Camp Nou, pelo Espanhol, e chegou a 371 gols pelo time catalão, superando os 369 de Paulino Alcántara, que defendeu o clube entre 1912 e 1927.

Orgulhoso, Messi comentou sobre a "honra" pelo novo recorde. "É uma honra pelo que significa entrar para a história deste clube, que é tão grande. É algo espetacular. Passaram-se muitos anos até que alguém batesse a marca e espero que passe muito mais com a minha marca agora", disse, em entrevista à Barça TV.

Dos 371 gols do argentino, 344 aconteceram em partidas oficiais e 27 em amistosos, enquanto Paulino Alcántara marcou a maioria de seus gols (229) em partidas não oficiais. Apesar do feito histórico, Messi preferiu exaltar toda a atual geração do Barcelona, uma das mais vitoriosas na história do futebol mundial.

"O importante é que a equipe siga fazendo história. Este grupo vem ganhando tudo e merece seguir fazendo coisas importantes", comentou o atacante, que, ao lado de seus companheiros, já conquistou, entre outros títulos, duas Copas do Rei, seis Campeonatos Espanhóis, três Ligas dos Campeões e dois Mundiais de Clubes.

A quebra de recorde de Messi veio em momento importante para o Barcelona, que vinha sendo criticado, principalmente após a derrota por 1 a 0 para o Valladolid, no último dia 8. A equipe se recuperou com boas apresentações contra o Manchester City, na última quarta, quando venceu por 2 a 1 e avançou na Liga dos Campeões, e o Osasuna.

"Depois do Valladolid recebemos duras críticas. Fomos os primeiros a saber que não havíamos feito as coisas bem e que teríamos que jogar tudo se quiséssemos o Espanhol, e foi o que fizemos", comentou. "Depois de uma boa partida contra o City tínhamos que voltar a fazer as coisas bem no Espanhol e por sorte saiu tudo perfeito."

Leia tudo sobre: futebol internacionalbarcelonamessirecorde