“Isso tem que ser reprovado”

G Robson Sávio Sociólogo professor da Puc Minas e membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública

iG Minas Gerais |

Fazer justiça com as próprias mãos é um fenômeno novo? Toda a história do Brasil é de violência, apesar de uma falsa ideia de que somos um povo pacífico. Os índices de homicídios e a letalidade da ação policial denunciam que a resolução de conflitos de forma extrajudicial é uma prática comum, feita por pessoas e por operadores do Estado.

O que tem acontecido então? O que vemos recentemente é o aumento dos crimes, a incapacidade do Estado de prevenção e uma formação da opinião pública de que o Estado é ineficiente. Isso corrobora um sentimento de que se as instituições encarregadas da aplicação da lei são ineficientes, só resta ao cidadão fazer justiça com as próprias mãos. Mas isso tem que ser reprovado.

Por quê? Não se pode concordar com a ideia de que a justiça com as próprias mãos seja eficiente para diminuir a violência. É justamente o contrário. Em uma sociedade democrática a gente cria instituições, como a Justiça, para que um indivíduo que tem mais poder não se sobreponha aos demais. (LM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave