Polícia não admite essa conduta

iG Minas Gerais |

Embora reconheçam o aumento da criminalidade e a sensação de insegurança, governo e polícia condenam a prática da justiça com as próprias mãos. Segundo o secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz, o “justiçamento” é intolerável, e os envolvidos devem ser responsabilizados. “A orientação é para a polícia não aceitar essas atitudes”.

“Nossa Constituição preconiza que a segurança pública é dever do Estado e responsabilidade de todos. Mas isso não significa transferir para o cidadão a autodefesa”, afirmou o major Gilmar Luciano, assessor da Polícia Militar. (LM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave