Aliados são mais contemplados

Oposição acusa governo mineiro de praticar política eleitoreira com prefeitos

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Contratos. NA ultima quinta-feira, o governador Antonio Anastasia fez mais uma solenidade voltada para os contemplados no programa
Gil Leonardi / Imprensa MG
Contratos. NA ultima quinta-feira, o governador Antonio Anastasia fez mais uma solenidade voltada para os contemplados no programa

Das 304 cidades beneficiadas pelo programa rodoviário do governo estadual Caminhos de Minas, 67% são comandadas por prefeitos da base aliada do PSDB. Apesar da diferença entre o percentual de municípios administrados por prefeitos de partidos aliados e de oposição, o Executivo mineiro garante que o programa atende a critérios técnicos.

O levantamento feito pela reportagem de O TEMPO aponta que cidades geridas por políticos de legendas aliadas ao projeto de governo tucano têm mais chances de serem beneficiadas. Só o PSDB, sigla do governador Antonio Anastasia, que controla 143 municípios em Minas, teve 33% de suas prefeituras contempladas. O PTB, que conseguiu diplomar 50 prefeitos na eleição de 2012, teve metade de seus Executivos contemplados. O partido do vice-governador Alberto Pinto Coelho, o PP, foi a terceira legenda mais presenteada e conseguiu colocar 32% de suas 70 prefeituras no programa. Entre as legendas de oposição, o PMDB, que controla 118 municípios no Estado, teve 54 cidades beneficiadas, ou seja, foi a sigla rival que mais recebeu agrados do governo. Em Minas Gerais, os peemedebistas, apesar de institucionalmente apoiarem o PT, está divido e já negocia com o PSDB apoio para o pleito deste ano. Apesar de o PT ter sido escolhido para receber a ação governamental em 31 prefeituras, em 65% dos casos, elas só foram cadastradas pelo programa porque no trecho rodoviário em que se encontram também estão localizados municípios administrados por integrantes da base aliada do governo estadual. Para o deputado estadual João Vítor Xavier (PSDB), os dados não comprovam que exista a distribuição de benefícios para prefeitos com intuito eleitoral. “Os números refletem o tamanho da aliança que o PSDB tem em Minas. Quem tem mais prefeituras terá mais benefícios. Na Assembleia, por exemplo, temos dois terços do parlamentares. O governador de Minas é republicano, e não escolhe partido para ajudar as cidades”, argumentou o parlamentar. Ele ainda acredita que o fator dedicação do parlamentar também influencia na hora de o governo definir obras em determinada região. “Eu posso falar que trabalhei intensamente para ver minha região contemplada. Foi muita cobrança no Executivo. Temos que ver caso a caso. Tem parlamentar que talvez precise mudar sua forma de trabalhar. Não posso dizer por eles.” Para o deputado federal Domingos Sávio (PSDB), há situações em que ordens de serviço foram executadas depois que candidatos a prefeito do PSDB foram derrotados. “Conheço muitas cidades administradas pela oposição que recebem os programas do governo, e muitas delas foram contempladas mesmo tendo derrotado o nosso partido recentemente.” O governo estadual informou “que as obras observam fatores estratégicos, que incluem a necessidade de maior integração entre os municípios, a redução de distâncias por meio da pavimentação de estradas e a diminuição dos custos de transporte, o que reflete no desempenho da economia mineira.” 

“O Estado deveria se espelhar no PAC. O governo federal beneficia todo mundo, independentemente do partido. O PSDB usa o critério político para chantagear e intimidar prefeitos da oposição”

Padre João PT - deputado federal  

O investimento

Custo. O governo de Minas Gerais está investindo, atualmente, considerando todos os processos em andamento na primeira etapa do programa Caminhos de Minas,

R$ 3,35 bilhões, oriundos do Tesouro Estadual. Peso. De acordo com dados oficiais do governo, o programa visa beneficiar cerca de 7,3 milhões de cidadãos mineiros. Tamanho. Dos mais de 8.000 km a serem reformados pelo programa, o maior trecho é o que liga a cidade de Chapada Gaúcha a Montalvânia, no Norte de Minas, que tem extensão de 177 km. O menor trecho é em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, que liga a cidade ao distrito de Pindaíba e que abarca 2,6 km.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave