Papo calcinha no Palácio

A jornalista e blogueira paulistana Lia Block lança sua primeira obra, “Manual do Mimimi”, em Belo Horizonte

iG Minas Gerais | Lygia Calil |

Bem humorada. A escritora Lia Bock transforma o universo feminino e as relações afetivas em piada
Vanina Batist / divulgaçãoa
Bem humorada. A escritora Lia Bock transforma o universo feminino e as relações afetivas em piada

O mundo afetivo feminino e os relacionamentos contemporâneos são assuntos que a jornalista Lia Bock trata com desenvoltura de especialista. Os textos que ela escreve sobre este universo para o blog “Eu Lia, Tu Lias”, no site da revista “TPM”, deram origem a “Manual do Mimimi – Do Casinho ao Casamento (ou Vice-Versa)”, livro lançado pela Companhia das Letras no ano passado.

Hoje, ela participa pela primeira vez do “Sempre Um Papo”. Mãe de dois filhos e com uma agenda profissional apertada (ela atua nas revistas customizadas da editora Trip, é blogueira da “TPM” e colunista da “GQ”), Lia encarna o arquétipo da mulher moderna. Ela é assim e também fala com elas, abordando suas questões com bom humor, “Sem ‘mimimi’ e ‘nhém nhém nhém’”, segundo ela.

O que caracteriza as crônicas, para a autora, é uma busca por equilíbrio e leveza – o que não significa que o leitor não encontrará textos mais tristes, falando de pés na bunda e fim de relacionamentos. Mas até esses assuntos nas mãos dela viram piada, motivo de deboche e ironia.

“Como todo mundo, tenho momentos supercontentes, outros em que quero matar algumas pessoas (risos). Mas de forma geral, tento ver as questões com positividade. Tento tirar um sarro mesmo estando no fundo do poço. Mas não faço graça como um comediante, por exemplo. Faço as pessoas rirem por causa da identificação”, explica ela.

Para a publicação, os textos foram organizados em capítulos que emulam as fases dos relacionamentos, com títulos engraçadinhos. Segundo a autora, parte das histórias é baseada na biografia dela, mas nem tudo. “Se fosse, a minha vida seria realmente muito agitada”, brinca.

De material, além da própria experiência, Lia usa histórias vividas pelas amigas e casos de outras pessoas com os quais ela se depara no dia a dia. “Tudo serve de inspiração e quanto mais coisas faço, mais assunto eu tenho. Pode ser de coisas que vejo na televisão, conversas que ouço no metrô e até aquelas que nunca existiram, mas que alguém poderia ter vivido. Para mim, o mais difícil é encontrar esse viés dentro do tema, o modo que vou abordar a questão e o caminho para escrever. O texto em si sai rápido”, diz.

Com foco em mulheres (solteiras, casadas, separadas e à procura), de 20 a 40 anos, o livro chegou às prateleiras em outubro passado. Mas o feedback de um público não esperado foi motivo de espanto para a autora. “Recebo e-mails de gente que não me conhecia da internet e que se identificou. Impressionante como tantos homens vêm conversar comigo, dizer que gostou dos textos. Tem uma história ótima de um gay que leu, adorou e comprou para presentear todos os amigos. Isso para mim abriu novas abordagens, fora da questão de gênero. Penso que as coisas estão tão confusas hoje que o que serve para as mulheres nos textos também cabe aos homens, sejam héteros ou não. Cheguei à conclusão que escrevo para seres humanos”, avalia.

Outra surpresa depois do lançamento foi ver o “Manual” nas seções de autoajuda das livrarias. “Eu brinco que é o único manual que não ensina nada. Hoje, ele já está catalogado como livro de humor, o que acho bem mais adequado. O nome é uma brincadeira, uma sátira com esses livros que ensinam como viver. De qualquer forma, ele acaba, sim, ajudando, mas no sentido de as pessoas perceberem que aquilo que elas passam não acontece só com elas. A identificação também parte disso”, afirma ela.

Agenda

O quê. “Sempre um Papo” com a jornalista Lia Bock, autora de “Manual do Mimimi”

Quando. Hoje, às 19h30

Onde. Palácio das Artes, sala Juvenal Dias (av. Afonso Pena, 1.537, centro)

Quanto. Entrada gratuita, sujeita à lotação

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave