Em ‘momento crucial’, PM troca comando do Bope

Secretário de Segurança Pública diz que pode haver novos tiroteios

iG Minas Gerais |

Mudança na chefia. Tenente-coronel Fábio Souza deixou de ser o comando do Bope do Rio de Janeiro
Divulgação / Secretaria de Comunicação Social / PMERJ
Mudança na chefia. Tenente-coronel Fábio Souza deixou de ser o comando do Bope do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro. O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou ontem que as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) vivem um “momento crucial” e que pode haver novos tiroteios em favelas ocupadas pela Polícia Militar.

Em entrevista exibida pela TV Globo, ele reconheceu que os episódios recentes de violência, que abalaram a imagem da principal vitrine da gestão Sérgio Cabral (PMDB), podem se repetir. “Nada impede que amanhã a gente tenha um ou outro problema”, disse o secretário. “É uma leviandade você garantir que não vai ter mais um tiro. Basta olhar um local como a Vila Cruzeiro, o Dona Marta. A configuração geográfica age a favor do bandido como uma verdadeira trincheira.”

Troca de comando. Em meio às ofensivas nos complexos do Alemão e da Penha, a Polícia Militar do Rio de Janeiro informou a troca de comando no Bope (Batalhão de Operações Especiais). O anúncio explica a ausência do comandante da corporação, tenente-coronel Fábio Souza, na reocupação dos locais, realizada na manhã de anteontem.

Em nota, a PM explica que Souza deixou o cargo na mesma data para assumir o comando de outra unidade, ainda a ser divulgada. O nome de seu sucessor ainda não foi informado. De acordo com a força de segurança, a troca de comandantes faz parte da rotina da instituição. No sábado, porém, o “RJTV”, da TV Globo, afirmou que a saída pode estar ligada a críticas ao comandante geral da PM, coronel José Luís Castro Menezes, feitas por Souza em redes sociais. A Polícia Militar, no entanto, declara que Menezes não tem conhecimento de que o tenente-coronel o teria feito críticas pela internet.

Complexo do Alemão. O subcomandante da UPP Vila Cruzeiro, Leidson Acácio Alves Silva, 27, foi morto com um tiro na cabeça quando patrulhava a favela com outros nove policiais. Essa foi a 11ª morte de policial desde a implantação do projeto das UPPs. O secretário de segurança pública, José Mariano Beltrame, recebeu nesta semana cinco documentos informando sobre planos de ataque do Comando Vermelho a policiais, UPPs, delegacias e batalhões.

Reocupação

UPP. O Bope voltou a ocupar os complexos do Alemão e da Penha pela primeira vez desde a instalação das UPPs na região, em 2011. Presença do batalhão na região é por tempo indeterminado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave