Seguros não cobrem tratamento, e Lais pede doações

Atleta brasileira esquiava em Salt Lake City (EUA), enviada pelo COB e pela CBDN, quando sofreu o acidente

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Lais Souza segue focada na sua rotina diária que visa a recuperação do grave acidente que sofreu em janeiro
COB/REPRODUÇÃO
Lais Souza segue focada na sua rotina diária que visa a recuperação do grave acidente que sofreu em janeiro

Apesar de contar com duas apólices de seguro, uma do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e outra da CBDN (Confederação Brasileira de Desportos de Neve), Lais Souza precisa recorrer a uma "vaquinha" virtual para poder dar continuidade aos tratamentos para se recuperar do acidente sofrido em janeiro. Na ocasião, a atleta esquiava em Salt Lake City (EUA), enviada pelo COB e pela CBDN, treinando para os Jogos Olímpicos de Sochi/2014.

A campanha foi lançada no sábado à noite, a partir de uma página no Facebook, denominada "Lais Souza", apenas. A campanha usa a hashtag #EuapoioaLais e visa arrecadar dinheiro para custear a continuidade do tratamento da atleta, internada na Unidade de Reabilitação de Lesões Medulares do Jackson Memorial Hospital, da Universidade de Miami, nos Estados Unidos. Sete semanas após o acidente, ela segue sem movimentos nos braços e pernas. Respira, fala e come sem ajuda de aparelhos.

Durante a semana, o COB divulgou uma foto de Lais Souza, em uma cadeira de rodas elétrica (movida pelo movimento do queixo da ex-ginasta), acompanhada da equipe médica que cuida dela em Miami. A cadeira, porém, pertence ao hospital e precisa ser devolvida quando ela receber alta e voltar ao Brasil.

Poucos dias após o acidente, Antonio Marttos Jr., médico do COB que acompanha Lais, exaltou o fato de que ela receberia um tablet especial para poder utilizar ferramentas de comunicação online. O mesmo, porém, não será provido pelo COB ou pela CBDN. Vale lembrar que, entre os seis patrocinadores oficiais do Comitê Olímpico Brasileiro está a Bradesco Seguros, que era quem segurava a ex-ginasta na sua campanha olímpica no inverno.

"Acreditamos no poder solidário do brasileiro. Até o momento, já foram arrecadados 75 mil reais para adquirir a cadeira de rodas e o tablet para Lais", diz texto publicado na página da campanha. Lançada com o apoio do COB, a página será gerida completamente por pessoas da confiança de Laís.

As doações são feitas diretamente em uma conta que está no nome de Laís Souza, a de número 0110490-0, na agência do Bradesco da Vila Clementino, em São Paulo, com código 0548-7. Robinho, Kaká, Hortência, Luciano Huck e Felipe Massa estão entre os que posaram para fotos fazendo um "L" com os dedos.  

Leia tudo sobre: segurosnaocobremtratamentolais souzapededoaçoesatletabrasileira