Rosberg exalta carro e festeja início de ano 'perfeito'

"Eu tive um carro inacreditavelmente rápido hoje. Foi um prazer tão grande pilotá-lo", declarou o alemão

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Nico Rosberg exaltou as qualidades de sua Mercedes neste domingo após faturar a vitória no GP da Austrália, o primeiro da Fórmula 1 em 2014. O piloto alemão venceu a prova praticamente de ponta a ponta e cruzou a linha de chegada com 24 segundos de vantagem para o segundo colocado, o local Daniel Ricciardo.

Ao comemorar sua quarta vitória na F1, Rosberg se mostrou impressionado com o ritmo da Mercedes. "Eu tive um carro inacreditavelmente rápido hoje. Foi um prazer tão grande pilotá-lo, uma grande sensação. Já estou ansioso para as próximas corridas", disse o alemão, cujo pai, Keke Rosberg, campeão em 1982, venceu a primeira prova australiana, em 1985.

Ele destacou também a confiabilidade do carro, qualidade mais admirada nas equipes neste início de temporada, apesar do abandono do companheiro Lewis Hamilton na quarta volta. "Agradeço a todos que trabalharam duro durante o inverno para termos agora este carro irreal. A confiabilidade também estava boa. Então, tive um início de temporada perfeito".

Hamilton largou na pole position e era o favorito para vencer a corrida. No entanto, voltou a ter problemas no carro, assim como aconteceu no primeiro treino livre, e perdeu a liderança para Rosberg logo na largada.

Ao fim da prova, o piloto inglês atribuiu a saída ruim aos problemas técnicos que vieram a abreviar sua corrida quatro voltas depois. "Minha largada não foi legal. Senti que estava com menor potência do que de costume. Estava óbvio que alguma coisa estava errada", disse o campeão de 2008.

"Parecia que só cinco dos seis cilindros [do novo motor turbo] estavam funcionando. E, para continuar correndo, eu tive que ser mais cuidadoso para poupar o motor. Claro que estou decepcionado mas essas coisas acontecem no automobilismo", declarou Hamilton. "Tínhamos um grande carro e o ritmo estava forte hoje, como Nico mostrou claramente".

Diretor executivo da Mercedes, Toto Wolff admitiu que um dos cilindros do carro de Hamilton não funcionou. "Ele estava fazendo tudo certo neste fim de semana até aquele ponto. Foi uma situação que estava além do seu controle", disse Wolff. "Tivemos um dia de brilho e escuridão".

Sem Hamilton na prova, a equipe perdeu a chance de iniciar o campeonato com boa vantagem no Mundial de Construtores. A Mercedes somou 25 pontos, com a vitória de Rosberg, mas ocupa a segunda colocação porque a McLaren colocou seus dois pilotos na zona de pontuação, alcançando os 27 pontos.

Leia tudo sobre: rosbergfórmula 1hamiltonvitória