Contra a lógica e a maldição do ‘quase’

São três vice-campeonatos e um técnico que acha difícil que um europeu vença uma Copa na América do Sul

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

“O objetivo é ser campeão no Brasil. É um alvo real e não iremos com a atitude de ver até onde podemos chegar. Precisamos sobreviver à fase de grupos e, se progressarmos, o título é o nosso sonho.” - Arjen Robben, Atacante da Holanda
Liis Treimann/AP
“O objetivo é ser campeão no Brasil. É um alvo real e não iremos com a atitude de ver até onde podemos chegar. Precisamos sobreviver à fase de grupos e, se progressarmos, o título é o nosso sonho.” - Arjen Robben, Atacante da Holanda

Será a Copa 2014 a edição capaz de por fim à “azarada” seleção holandesa? A Laranja Mecânica é o time do quase, a seleção que mais disputou finais sem ter sido campeã: 1974, 1978 e 2010. Em 1974 e 1978, perdeu do anfitrião. Em 1978 e 2010, foi eliminada após a prorrogação. Na última edição, os holandeses estiveram a quatro minutos de mudarem essa história forçando a disputa de pênaltis.

Se a história dará um novo – ou um mesmo fim – à Holanda, vai ser preciso esperar o fim da Copa mas, para não perder o costume, o Mundial já começou com o pé esquerdo para os holandeses. O time caiu no grupo com nada menos do que a campeã mundial Espanha, além de um Chile que terminou as Eliminatórias Sul-Americanas numa crescente (a Austrália é a zebra da chave).

Garantindo a classificação, a Holanda pode cair na rota do Brasil já nas oitavas de final, um dos mais tradicionais confrontos em Copas. Em quatro jogos, foram duas eliminações brasileiras para cima dos holandeses (1994 e 1998) e duas vitórias do time laranja, em 1974, e há quatro anos, na África do Sul.

Depois do vice-campeonato mundial em 2010, a equipe manteve a base para a Eurocopa 2012, mas decepcionou, com três derrotas em três jogos. Nas Eliminatórias, por sua vez, foi diferente. A equipe conseguiu nove vitórias em dez jogos, a melhor campanha europeia ao lado da Alemanha. Comandada por Louis van Gaal – que treinou a seleção, pela primeira vez, entre 2000 e 2002 –, a Laranja Mecânica tem um poderoso ataque, com Van Persie e Robben. Não é o futebol arte de gerações anteriores, mas um estilo que busca eficiência e presa pelos resultados.

Apesar do time que tem em mãos, o técnico Van Gaal não está assim tão otimista. “Acho que não temos tantas chances. Quando vemos as estatísticas, nenhum país europeu venceu a Copa do Mundo quando foi sediada na América da Sul. Estatísticas não mentem, mas temos chances correndo por fora”, afirmou.

O craque Robben não concorda muito. “Precisamos sobreviver à fase de grupos e, se progressarmos, o título é o nosso sonho”, ressaltou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave