Poucas vagas são abertas

iG Minas Gerais |

Em meio à apuração da Controladoria Geral da União (CGU) sobre uma possível irregularidade na nomeação de um servidor do Cefet-MG, outro questionamento vem à tona. A instituição está com inscrições abertas até o próximo dia 20 para um novo concurso, destinado ao preenchimento de 157 vagas de docentes do ensino básico, técnico e tecnológico. Uma portaria do Ministério da Educação publicada em dezembro, no entanto, autorizou 239 novas vagas, e servidores questionam uma possível “reserva” de cargos. “A direção pode estar guardando vagas para indicar pessoas com quem tem afinidade. E isso não é novidade. Se você é amigo da direção, você consegue ‘mundos e fundos’”, criticou o servidor José Maria da Cruz, membro do Conselho Diretor do Cefet-MG.

Para o presidente do sindicato dos professores da unidade (SindCefet-MG), Antônio Arapiraca, as 157 vagas não serão suficientes para suprir a demanda de professores efetivos da instituição. “Ainda teremos que operar com 80 professores temporários. Não dá para saber se alguma vaga foi guardada, mas a posição do sindicato é que todas as vagas docentes têm que ser encaminhadas para concurso”.

Segundo o diretor geral do Cefet-MG, professor Márcio Basílio, o novo concurso não contemplou as 239 vagas porque candidatos excedentes do último processo estão sendo chamados. “Como as novas áreas contempladas já tinham concurso válido, é mais prático e mais econômico chamar os segundos e terceiros colocados”, afirmou. (LM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave