Brasileiros buscam vida nova e oportunidades no Canadá

Governo canadense oferece facilidades para profissionais que procuram se estabelecer no país

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Lina Donnard, 29, mora no Québec há cerca de três anos e diz que não tem intenções de voltar
Lina Donnard / Arquivo pessoal
Lina Donnard, 29, mora no Québec há cerca de três anos e diz que não tem intenções de voltar

Viajar para o Canadá, a passeio ou para estudar, tem sido um interesse crescente entre os brasileiros. Somente este ano, o país da América do Norte espera receber mais de 20 mil alunos brasileiros para o estudo de inglês e francês. Para alguns, no entanto, passar um tempo no país não é suficiente, eles querem emigrar definitivamente, especificamente para a província do Québec.

A fisioterapeuta Ana Carolina França Silva Bertú, 30, e seu marido, o programador Glauco Bertú, 30, já estão com um pé no país estrangeiro. Eles foram aprovados no processo de seleção de imigrantes da província e aguardam a chegada da documentação necessária para embarcarem para seu novo lar.

“Queremos ir por questões de crescimento profissional e pessoal. Eu quero fazer mestrado e, sendo residente, há uma série de facilidades para fazer bons cursos. Além disso, o campo de trabalho é muito melhor, e também estamos em busca de mais qualidade de vida”, conta Ana. O casal espera receber os documentos dentro de cinco meses e pretende começar 2015 na nova morada.

A mudança para o Canadá é uma importante decisão de vida, mas quem foi não se arrepende. A analista de relações internacionais mineira Lina Donnard, 29, mora no Québec há cerca de três anos e não pretende voltar para o Brasil. “Com 15 dias morando aqui, liguei para o meu pai e disse: não volto mais para o Brasil. Sentimos saudades, mas ele fica feliz porque sabe que esta é a realização de um sonho meu”, revela.

Em Montreal – capital do Québec –, Lina trabalha, faz mestrado em sua área de formação e é voluntária na Câmara latino-americana de comércio do Québec, oportunidades que ela não tinha no Brasil.

Receptividade. O Canadá tem programas de imigração para solucionar uma difícil equação em todo o seu território: a necessidade de movimentar a economia, de um lado e, de outro, as pequenas população e taxa de natalidade. No Québec, por exemplo, a taxa de natalidade é de 1,1%, quando o ideal seria de 2,1%.

“Nossas pesquisas mostraram que o brasileiro tem facilidade de se adaptar em novos contextos, entornos e sociedade e não forma guetos. Gostamos muito disso”, afirma Perla Haro Ruiz, assessora em promoção para o Brasil do escritório de imigração do Québec no México. Ela ressalta, ainda, a formação profissional dos brasileiros como um diferencial. “Temos algumas empresas que dão descrições muito boas sobre os profissionais brasileiros”.

O perfil buscado pela província é de jovens profissionais qualificados com experiência profissional e nível de francês avançado. “O francês é eliminatório – se o candidato não tiver nível intermediário ou avançado, não é selecionado – e conhecimentos em inglês também contam pontos. Anos de experiência profissional também contam, e candidatos que tenham até 35 anos têm mais chance de migrar. Se tiver filhos, ganha pontos extras”, revela a consultora especializada em turismo, estudos e trabalho no Canadá Soraia Tandel.

Algumas áreas têm uma carência maior de profissionais. “Agora estamos focando muito nos profissionais de enfermagem, tecnologia da informação e administração”, conta Perla. Isso não significa que candidatos de outras áreas não consigam emigrar, mas torna o processo mais rápido para quem está nas profissões-alvo.

Palestra

Grátis. O escritório de imigração do Québec realiza, amanhã e depois, duas palestras sobre o processo de imigração. Informações no site http://bit.ly/palestras-quebec.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave