Disputa de clássico nas urnas

Cartolas de Cruzeiro e Atlético vão “colocar times em campo” para conquistar vitória eleitoral

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Brasileirão. Conquista do Campeonato Brasileiro de 2013 dá mais fôlego para candidatura de Gilvan
DANIEL PROTZNER - 18.7.2013
Brasileirão. Conquista do Campeonato Brasileiro de 2013 dá mais fôlego para candidatura de Gilvan

Se 2013 foi o ano de Atlético e Cruzeiro no futebol, com as respectivas conquistas da Taça Libertadores e do Campeonato Brasileiro, o ano eleitoral que sucede o das vitórias deve ter clássico também nas urnas. A começar pelos cartolas das duas equipes. Alexandre Kalil (PSB) e Gilvan de Pinho Tavares (PV) filiaram-se no ano passado, na onda dos bons desempenhos de suas equipes, e devem ser candidatos nas eleições deste ano. Gilvan já confirmou que vai disputar uma vaga na Assembleia para poder conciliar os mandatos de deputado estadual e na sede do clube. O atual mandatário do Cruzeiro pretende seguir o mesmo caminho de um outro presidente do clube. Zezé Perrella (PDT) foi eleito deputado estadual pela primeira vez em 1999, cargo que ocupou por oito anos. Em 2011, com a morte de Itamar Franco, assumiu uma vaga no Senado. O Senado também pode ser o destino do presidente atleticano, Alexandre Kalil, embora seu partido ainda não confirme qual cargo ele disputará. O PSB pode usar da popularidade de Kalil para puxar votos em cargos proporcionais, como para deputado estadual ou federal ou, ainda, lançá-lo ao Senado. Na hipótese de o PSB fechar com o PSDB do senador Aécio Neves, tudo indica que as portas estão abertas. “O PSDB deixou em aberto a composição da chapa encabeçada por Pimenta da Veiga. Poderia ser uma boa lançar o Kalil ao Senado ou como suplente do governador Anastasia, se ele for candidato”, afirmou o presidente estadual do PSB, Júlio Delgado.

O bom desempenho das equipes dentro de campo garante voto para quem é identificado com o clube. É contando com esse cenário que o locutor esportivo Mário Henrique Caixa (PCdoB) espera conseguir mais que os 25 mil votos obtidos na última eleição para deputado estadual, quando ficou na primeira suplência e entrou na Assembleia há um ano, com a eleição de Carlin Moura à Prefeitura de Contagem. Narrador dos jogos do Galo desde 2009, Caixa confirma que o entusiasmo dos torcedores com o time pode se refletir nas urnas, mas diz que procura não depender só do voto do futebol. “A gente tenta não condicionar só a isso, porque a gente não sabe como se desenha o futuro, o futebol do Atlético”, diz Caixa. Ele afirma que dedicou seu primeiro ano de mandato a atuar em favor da cafeicultura, já que um de seus redutos eleitorais está no Sul de Minas, maior região produtora de café no Estado. A bancada da bola na Assembleia conta ainda com os atleticanos Marques Abreu (PTB) e João Leite (PSDB) e o cruzeirense Gustavo Perrella (SDD), filho do ex-presidente do clube. Também já passaram pela política, mas na Câmara de Belo Horizonte, o locutor dos jogos do Cruzeiro, Alberto Rodrigues (PV), e o ex-centroavante do Atlético Reinaldo. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave