Trajetória fora da curva

Na série policial “Acerto de Contas”, produção do canal Multishow, Aline Fanju preza por diversidade artística

iG Minas Gerais | caroline borges tv press |

Personalidade. 
Aline também buscou referências em “Macbeth” para construir seu papel na trama
Luiza Dantas/CZN
Personalidade. Aline também buscou referências em “Macbeth” para construir seu papel na trama

[NORMAL_A]Fugir da padronização imposta pela TV é um dos objetivos da carreira de Aline Fanju. Acostumada a personagens mais leves, a atriz afirma que, apesar ir em busca de diferentes possibilidades em sua trajetória, conquistou uma série de papéis parecidos na TV.

Por isso, viu na inescrupulosa Luana, da série policial “Acerto de Contas”, do Multishow, a chance de sair de sua zona de conforto. “Tenho a oportunidade de fazer algo totalmente novo. Esses rótulos que a televisão impõe atrapalham muito. Sou atriz e estudei muito para ganhar uma diversidade cênica”, aponta.

A trama criada e protagonizada por Silvio Guindane, que vive Dante, conta a história de um ex-detento que, após dez anos na prisão, tenta se readaptar à vida em família. Dentro do enredo, Luana é ex-mulher dele. Após a prisão do marido, ela se casa com o irmão de criação do protagonista, Quinho, interpretado por Ângelo Paes Leme. Alpinista social, a personagem é a cabeça por trás de todo o esquema de corrupção política que acontece no bairro de Campo Grande, localizado na zona Oeste do Rio de Janeiro. “Tudo gira em torno de ter cada vez mais poder. Ela tem valores deturpados e quer se dar bem a qualquer custo, sendo capaz até de matar”, afirma.

Para compor sua primeira vilã, Aline assistiu a diversos filmes e séries, como “House of Cards”, que trata sobre o submundo dos interesses políticos. Além disso, tomou como principal referência para moldar a personalidade da personagem a clássica tragédia “Macbeth”, escrita por William Shakespeare. “Foi essencial para compreender a Luana. Ela é uma influência ruim sobre o marido também. Uma mulher que instiga o Quinho a ter os mais variados atos desonestos”, aponta.

Com os cabelos louros e pele branca, Aline, inicialmente, apresentava o biótipo oposto para viver a personagem. No entanto, após insistência de Silvio Guindane para que fizesse teste para o papel, a atriz acabou agradando ao diretor de cinema José Joffily. “O Silvio até tinha me sugerido. Mas eles pensavam em uma negra para a série. Achei que não tinha como. Fiz o teste sem compromisso e acabou acontecendo”, explica ela.

Inside

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave