Ucrânia acusa invasão russa e ameaça reagir

Chancelaria ucraniana pediu a retirada imediata das tropas invasoras e ameaçou reagir "com todos os meios" para defender seu território

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O governo ucraniano acusou tropas russas de invadiram uma região localizada entre  península da Crimeia e a Ucrânia continental, tomando uma usina de gás do país. A chancelaria afirmou que soldados, helicópteros e veículos blinados participaram a operação em uma aldeia da localidade e afirmou que os ucranianos irão reagir. O ministério dos Negócios Estrangeiros pediu "a retirada imediata" dessas forças e ameaçou responder "com todos os meios para parar a invasão militar" russa.   Esta não é a primeira posição ocupada pelas forças russas fora da Crimeia já que a barreira de controle de Tchongar, dominada pelas forças russas e por militares pró-russos, também se localiza a cerca de 1 quilômetro ao Norte da fronteira administrativa entre a Crimeia e a Ucrânia. O ministério dos Negócios Estrangeiros ucraniano informou que o Exército russo fez uma operação utilizando helicópteros perto da aldeia de Strilkove, na região de Kherson.   A resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas contra o referendo na Crimeia, votado hoje, recebeu o veto da Rússia, enquanto a China se absteve, tendo sido rejeitado.   A resolução, apresentada pelos Estados Unidos, destinava-se a defender a integridade territorial da Crimeia, não reconhecendo o referendo. Os Estados Unidos já reagiram a esta decisão do governo russo, dizendo que "a Rússia tem o poder de vetar a resolução, mas não pode vetar a verdade" sobre a sua atuação na Ucrânia.   A embaixadora de Washington nas Nações Unidas, Samantha Power, ressaltou que Moscou "usou o seu veto como cúmplice de uma incursão militar ilegal".   Agência Brasil